Expiação Limitada

0

No comments posted yet

Comments

Slide 7

Cremos na Expiação limitada, ou particular, por causa de muitas passagens bíblicas que ensinam que Cristo morreu, não por todos, mas por muitos

Slide 9

Slide 11

Slide 12

Slide 13

Slide 14

Precisamos entender que esta não é a visão que encontra concordância nas Sagradas Escrituras

Slide 15

Slide 16

· Ela calunia os atributos de Deus, dentre os quais, o seu amor. O Arminianismo apresenta um amor que, na verdade, não salva. É um amor que ama e então, se recusado, transforma-se em ódio e ira. Não é o amor que permanece imutável de eternidade a eternidade. Ela calunia a sabedoria de Deus. Deus faria um plano para salvar todos, mas não o cumpriria? Ele seria tão tolo a ponto de seu Filho ter pagado a salvação para todas as pessoas se sabia que seu Filho não obteria aquilo pelo que pagou? Eu me sentiria tolo se eu fosse numa loja comprar algo, e então saísse sem ele. No entanto, o Arminianismo nos pede para acreditarmos que essa é a verdade da salvação – que o pagamento foi feito, uma redenção, e, ainda assim, o Senhor se afastou sem aqueles que ele redimiu. Essa visão calunia a sabedoria de Deus. Ela calunia o poder de Deus. O universalismo arminiano nos obriga a acreditar que Deus era capaz de realizar o aspecto de merecimento da salvação, mas que o aspecto de aplicação é dependente do homem e seu livre-arbítrio. Ele nos pede para acreditar que Deus operou a salvação de todas as pessoas, até certo ponto, mas não salvou ninguém. Ela calunia a justiça de Deus. Cristo satisfez a justiça de Deus para todas as pessoas? Será que Cristo recebeu a devida punição por todas as pessoas? Se sim, como Deus pode ainda punir alguém? É justiça punir uma pessoa pelos pecados de outra e mais tarde punir novamente o infrator inicial? Dupla punição é injustiça.

Slide 17

Ela desabilita a divindade de Cristo. Um Salvador derrotado não é Deus. Este erro ensina que Cristo tentou salvar todos, mas não obteve êxito. Ele nega o poder e a eficácia do sangue de Cristo, uma vez que nem todos aqueles por quem Ele morreu serão salvos. Assim, o sangue de Cristo foi desperdiçado quando derramado por Judas e Esaú. Grande parte da sua obra, lágrimas e sangue foi derramada em vão.

Slide 18

· Ela mina a unidade da Trindade. Assim como os pais devem trabalhar juntos para conduzir uma família com eficácia, assim o Deus Triúno trabalhou, cada uma das três Pessoas, com propósitos e objetivos idênticos. Uma Pessoa não pode ter em mente salvar algumas pessoas, que a outra Pessoa não determinou salvar, mas é exatamente isso que, implicitamente, o universalismo arminiano ensina. Ele nega a eleição soberana do Pai, uma vez que Cristo teria morrido por mais pessoas do que Deus decretou salvar, fazendo, portanto, com que Cristo tenha uma agenda diferente da do Pai. Isso teria sido um anátema para Jesus, que afirmou que todo o seu ministério redentivo foi conscientemente designado para realizar um plano divinamente arranjado (João 6.38-39). Da mesma forma, a redenção arminiana nega o ministério salvador do Espírito Santo, uma vez que afirma que o sangue de Cristo tem uma aplicação mais ampla do que a obra salvífica do Espírito. Qualquer apresentação da salvação que faça com que a obra do Pai ou a obra do Espírito na salvação fiquem eclipsadas pela obra de Cristo contradiz a unidade inerente da Trindade. Deus não pode estar em contradição consigo mesmo. Arminianismo é universalismo inconsistente.

Slide 19

· Ela rejeita todos os outros pontos do Calvinismo. A visão arminiana da expiação rejeita a doutrina da depravação total do homem, ensinando que o homem possuía dentro de si a capacidade para receber e aceitar a Cristo. Ela rejeita a eleição incondicional, ensinando que Deus elege com base na fé prevista. Ela rejeita a graça irresistível, ensinando que a vontade do homem é mais forte que a vontade de Deus. Ela rejeita a perseverança dos santos, ensinando que o homem pode apostatar da fé.

Slide 20

· Ela diminui a glória de Deus. Se Deus faz todas as coisas na salvação, Ele recebe toda a glória. Mas se Deus pode fazer muito e não tudo, então a pessoa que completa a aplicação da salvação recebe ao menos alguma glória. É por isso que há tanta ênfase no evangelismo em massa sobre a livre vontade do homem. A expiação universal exalta a vontade do homem e avilta a glória de Deus.

Slide 21

· Ela perverte o evangelismo. Hoje em dia ouvimos repetidas vezes mensagens evangelísticas, que dizem: “Cristo morreu por você. O que você vai fazer por Ele?” Porém, nunca encontramos na Bíblia que a alguém seja dito pessoalmente: “Cristo morreu por você”. Em vez disso, encontramos a obra de Cristo explicada e seguida por um chamado a todas as pessoas: “Arrependei-vos e crede no evangelho”. A mensagem não é: “Creia que Cristo morreu por você” ou “Creia que você é um dos eleitos”. A mensagem é: “Creia no Senhor Jesus Cristo e você será salvo”. · Ela denigre a eficácia intrínseca da própria expiação. Os arminianos ensinam que a obra de Cristo induz o Pai a aceitar graciosamente o que Jesus realizou no lugar de uma completa satisfação da Sua justiça. É como se Jesus persuadisse ao Pai a aceitar alguma coisa menos do que demandado pela justiça. Foi por isso que Armínio afirmou que quando Deus salvou pecadores, Ele mudou-se do seu trono de justiça para o seu trono de graça. Todavia, Deus não possui dois tronos. O seu trono de justiça é o seu trono de graça (Salmo 85.10). O arminianismo esquece que a expiação não conquista o amor de Deus, mas, sim, que a expiação é a provisão do seu amor.

Slide 22

· Ela denigre a eficácia intrínseca da própria expiação. Os arminianos ensinam que a obra de Cristo induz o Pai a aceitar graciosamente o que Jesus realizou no lugar de uma completa satisfação da Sua justiça. É como se Jesus persuadisse ao Pai a aceitar alguma coisa menos do que demandado pela justiça. Foi por isso que Armínio afirmou que quando Deus salvou pecadores, Ele mudou-se do seu trono de justiça para o seu trono de graça. Todavia, Deus não possui dois tronos. O seu trono de justiça é o seu trono de graça (Salmo 85.10). O arminianismo esquece que a expiação não conquista o amor de Deus, mas, sim, que a expiação é a provisão do seu amor.

Slide 23

Slide 24

Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora. Jo 6.37 Se me amais, guardareis os meus mandamentos. Jo 14.15 Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Rm 5.8 ...graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do [nosso] Senhor Jesus Cristo, o qual se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai,... Gl 1.3-4 Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? Rm 8.32 Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, Ef 5.25

Slide 25

É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus; Jo 17.9

Slide 26

Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. Mt 1.21 Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. 2Pe 3.9 ...dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz. Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados. Cl 1.12-14 Entretanto, devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade,... 2Ts 2.13

Slide 27

Slide 28

Slide 29

Slide 30

Slide 1

Rev. Cleudson Gomes Corrêa Expiação Limitada

Slide 2

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 2

Slide 3

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 3 Quantas vezes já ouvimos nas pregações que Jesus morreu por todo o mundo?! Muito mais que isso ainda, nós mesmos já falamos que Deus amou o mundo (isso é verdade – Jo 3.16), mas traduzimos isso afirmando que Deus amou todas as pessoas. É senso comum entre os crentes falar que Jesus morreu por todas as pessoas e quando se diz que não é bem assim, todos se assustam e prontamente rejeitam essa negativa.

Slide 4

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 4

Slide 5

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 5 Que o valor da morte de Cristo é infinito, disso todos sabemos e com isso todos concordamos. A questão é saber qual é o propósito da morte de Cristo e o que ele realizou com ela. Cristo pretendia fazer da salvação algo não mais que possível? Ou ele realmente salvou aqueles por quem ele morreu? A teologia reformada acentua que Jesus realmente fez propiciação pelos pecados daqueles a quem o Pai escolheu.

Slide 6

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 6 Embora Deus tenha resolvido salvar da condenação um certo número de homens, Sua santidade e justiça exigem que o pecado seja punido. Como os escolhidos de Deus são pecadores, uma expiação completa e perfeita era necessária. Jesus Cristo, o Filho de Deus feito homem, suportou o castigo merecido pelos pecadores e obteve a Salvação para os Seus eleitos.

Slide 7

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 7 Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; e não apenas isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação. Rm 5.10-11

Slide 8

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 8 Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre si. Is 53-11 tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. Mt 20.28 porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados. Mt 26.28 assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação. Hb 9.28 Cristo morreu por muitos e não todos.

Slide 9

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 9 ... Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido. Is 53.8 Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. Mt 1.21 Cristo morreu por seu povo.

Slide 10

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 10 Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. Jo 10.14-15 Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. Jo 10.26-28 Cristo morreu por Suas ovelhas.

Slide 11

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 11 Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue. At 20.28 Cristo morreu por Sua Igreja. Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue. At 20.28 “Afirmamos que Cristo morreu para assegurar a salvação de uma tão grande quantidade de pessoas que ninguém é capaz de enumerar, pessoas que mediante a morte de Cristo não somente podem ser salvas, mas são salvas, têm de ser salvas; e não existe a possibilidade de, por meio de qualquer casualidade, elas serem outra coisa, exceto pessoas salvas” (Charles Haddon Spurgeon).

Slide 12

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 12 Confissão de Westminster -VIII. V “O Senhor Jesus, pela sua perfeita obediência e pelo sacrifício de si mesmo, sacrifício que pelo Eterno Espírito, ele ofereceu a Deus uma só vez, satisfez plenamente à justiça do Pai e para todos aqueles que o Pai lhe deu adquiriu não só a reconciliação, como também uma herança perdurável no Reino dos Céus”.

Slide 13

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 13 NA VISÃO ARMINIANA A EXPIAÇÃO É UNIVERSAL Algumas pessoas amam a doutrina da expiação universal porque eles dizem: é tão bela, tão formosa, é tão bom saber que Cristo morreu por todos os homens.’’ Admito que há algo de belo nesta doutrina, mas a beleza muitas vezes pode ser associada com a falsidade. Spurgeon

Slide 14

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 14 Se Cristo na cruz teve a intenção de salvar a cada pessoa, sem exceção – então Ele intentou salvar aqueles que já haviam se perdido antes que Ele morresse. Se esta doutrina é verdadeira – que Ele morreu por todos os homens, então Ele morreu por alguns que estavam no inferno antes que Ele viesse ao mundo. Porque sem dúvida havia milhares que haviam sido reprovados por causa de seus pecados. Se foi mesmo a intenção de Cristo salvar todos os homens, como Ele foi deploravelmente frustrado, porque temos Seu próprio testemunho acerca do lago de fogo e neste lago tem sido lançados – segundo a teoria da redenção ilimitada (ou universal) pessoas que foram compradas pelo seu sangue. Essa é uma concepção mil vezes mais odiosa e repulsiva do que qualquer consequência que associam à doutrina cristã e calvinista da expiação limitada ou particular. Spurgeon

Slide 15

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 15 Que Cristo ofereceu uma expiação e satisfação pelos pecados de todos os homens, e que depois alguns desses mesmos homens hão de ser castigados pelos pecados que Cristo já havia expiado, parece ser a mais monstruosa de todas as iniquidades que poderia ser imputada às deidades mais pagãs e diabólicas. Deus não nos permita de pensarmos assim d’Ele. Spurgeon

Slide 16

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 16 Calunia os atributos de Deus, dentre os quais, o seu amor A VISÃO ARMINIANA DE EXPIAÇÃO UNIVERSAL Joel R. Beeke

Slide 17

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 17 Desabilita a divindade de Cristo A VISÃO ARMINIANA DE EXPIAÇÃO UNIVERSAL Joel R. Beeke

Slide 18

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 18 Mina a unidade da Trindade A VISÃO ARMINIANA DE EXPIAÇÃO UNIVERSAL Joel R. Beeke

Slide 19

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 19 Rejeita todos os outros pontos do Calvinismo A VISÃO ARMINIANA DE EXPIAÇÃO UNIVERSAL Joel R. Beeke

Slide 20

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 20 Diminui a glória de Deus A VISÃO ARMINIANA DE EXPIAÇÃO UNIVERSAL Joel R. Beeke

Slide 21

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 21 Perverte o evangelismo A VISÃO ARMINIANA DE EXPIAÇÃO UNIVERSAL Joel R. Beeke

Slide 22

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 22 Denigre a eficácia intrínseca da própria expiação A VISÃO ARMINIANA DE EXPIAÇÃO UNIVERSAL Joel R. Beeke

Slide 23

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 23 Os Calvinistas creem que a salvação é só para os eleitos, uma vez que Cristo morreu só por aqueles que o Pai lhe deu como noiva ( = igreja), pois só dos santos ou dos eleitos se diz que são “amados de Deus”, porque só eles são objetos de sua graça salvadora! Os calvinistas raciocinam que, se Cristo morreu por todos, todos serão salvos. Se só os eleitos são salvos, então Cristo morreu só pelos eleitos. Ainda que seja verdadeiro que o sangue de Cristo é suficiente, em valor, para expiar o pecado de todos os homens, é claramente eficiente para aqueles que são salvos pelo favor imerecido de Deus!

Slide 24

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 24 A morte de Cristo é para os Seus eleitos

Slide 25

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 25 Cristo orou em favor dos eleitos

Slide 26

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 26 Somente os eleitos são salvos

Slide 27

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 27 A obra redentora de Cristo foi definida em desígnio e realização. Foi planejada para render completa satisfação em favor de certos pecadores específicos e, de fato, assegurou a salvação para esses indivíduos e para ninguém mais.

Slide 28

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 28 A salvação que Cristo adquiriu para o Seu povo inclui tudo que está envolvido no processo de trazê-los a um correto relacionamento com Deus, incluindo os dons da fé e do arrependimento.

Slide 29

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 29 Deus não deixou aos pecadores a decisão se a obra de Cristo será ou não efetiva. Pelo contrário, todos aqueles por quem Cristo morreu serão infalivelmente salvos.

Slide 30

30/7/2014 18:38:02 Rev. Cleudson Gomes Corrêa 30 A redenção, portanto, foi designada para cumprir o propósito divino da eleição.

Tags: expiação salvação céu perdão deus soberanía calvinismo arminianismo

URL: