TRABALHO_INSUCESSO_ESCOLAR_professor

+6

No comments posted yet

Comments

Slide 1

Insucesso Escolar Ciências da Educação II - Organização e Administação Escolar Docente: António Bento Trabalho elaborado por: Raquel Camacho Liliana Vieira Fátima Andrade Natércia Camacho

Slide 2

Resumo Este artigo tem como objectivo principal analisar, descrever e compreender o insucesso escolar. Esta análise tem como finalidade responder a quatro questões, que, no fundo, conduziram todo o trabalho.

Slide 3

Resumo (continuação) Neste artigo discutiremos as manifestações e as causas que conduzem os alunos ao insucesso a nível escolar. E também iremos apresentar algumas medidas de combate a esse insucesso tão frequente na nossa sociedade e ao mesmo tempo tão indesejado.

Slide 4

Resumo (continuação) A investigação baseou-se, ainda, em duas entrevistas feitas a duas professoras, uma do ensino secundário e outra do ensino especial. A análise dos dados recolhidos nas entrevistas e a disposição das conclusões foram feitas conforme a visão de cada professora sobre fenómeno do insucesso.

Slide 5

Introdução A crescente onda de insucesso escolar que tem ocorrido nos últimos anos, na nossas escolas, tem levado uma enorme reflexão e investigação sobre esse tema. Há insucesso escolar sempre que um aluno tem dificuldades constantes em acompanhar a aprendizagem. Essas dificuldades, por vezes, advêm de factores sociais, económicos, familiares e culturais.

Slide 6

Introdução (continuação) Segundo Reina Pereira, o insucesso escolar apresenta cinco características: - Massivo (distribui-se por uma considerável massa populacional escolar); - Selectivo (a população desfavorecida é a que apresenta maior insucesso escolar); - Precoce (já se verifica na escola primária); - Constante (alarga-se por todos os graus e tipos de ensino); - Cumulativo (quem já reprovou uma vez, tem maior probabilidade de reprovar novamente).

Slide 7

Introdução (continuação) Segundo Ana Benavente (1989), na década de 60, o insucesso é explicado pelas maiores ou menores capacidades dos alunos, pela sua inteligência, pelos seus dotes naturais, pela pertença social e pela maior ou menor bagagem que os alunos dispõem, quando estes ingressam na escola. No entanto, nos anos 70, Benavente concluiu que os alunos têm capacidades diferentes o que obriga a terem diferentes ritmos de aprendizagem.

Slide 8

Introdução (continuação) A definição de insucesso escolar foi evoluindo ao longo dos tempos e hoje, os pedagogos já estabeleceram alguns casos que podem ser considerados como insucesso, propriamente dito. Tais como: - Desinteresse do aluno; - O aluno não gostar da escola; - Falta de atenção; - Absentismo; - Dificuldades de aprendizagem; Os alunos com necessidades especiais, também são considerados como casos de insucesso, embora não se considere a deficiência como tal.

Slide 9

Introdução (continuação) Neste trabalho foram formuladas quatro questões que, no fundo, conduziram todo o estudo e investigação: Quais são as principais causas do insucesso escolar? Será a escola um agente “filtrador” da sociedade? A quem imputar a responsabilidade do insucesso escolar? Como combater o insucesso?

Slide 10

Quais são as principais causas do insucesso escolar? Vamos considerar as causas em função dos seus agentes: Alunos Família Escolas Professores Currículos Sistema educativo Sociedade

Slide 11

Alunos As razões pelas quais podemos considerar que o aluno é um dos agentes responsáveis pelo insucesso escolar deve-se: à instabilidade característica da adolescência que leva o aluno a rejeitar a escola, tornar-se indisciplinado desinvestindo no estudo; a atrasos no desenvolvimento cognitivo.

Slide 12

Famílias Os baixos recursos económicos obrigam muitas vezes os alunos a terem que deixar os estudos para começar a trabalhar para poderem sustentar a família. Podemos verificar uma demissão dos pais na educação dos filhos. Estes muitas vezes não têm tempo para si e muito menos para se dedicarem à educação dos filhos. O ambiente familiar conflituoso, a autoridade dos pais, o divórcio dos pais são algumas das causas que explicam o comportamento indisciplinado dos alunos.

Slide 13

Escolas A escola, por sua vez, é também um um agente responsável, pois verifica-se que: um elevado número de alunos por escola e por turma levam a um aumento dos conflitos e ao decréscimo do rendimento individual de cada aluno; a organização de turmas demasiado heterogéneas origina dificuldades de gestão da aula por parte do professor; existe um clima escolar pouco apelativo; os alunos têm expectativas baixas em relação à escola; os objectivos não são partilhados.

Slide 14

Professores Também o professor é responsável pela falta de resultados do aluno, pois: usa um método de ensino, recursos didácticos e linguagem desadequados à característica da turma/aluno; não consegue fazer uma gestão da disciplina na sala de aula; cria expectativas em relação aos alunos.

Slide 15

Currículos Quando analisados os currículos verifica-se que: há uma desarticulação dos programas; há um desfasamento no currículo escolar; os currículos são demasiado extensos; há elevadas cargas horárias semanais.

Slide 16

Sistema educativo As dificuldades de inserção na vida activa podem também traduzir o desajustamento da preparação proporcionada pela escola às exigências do mercado de trabalho. Assim, o nosso sistema educativo não proporciona uma rápida e bem conseguida integração por parte dos jovens no mundo do trabalho, levando à desmotivação e ao descrédito destes perante a escola.

Slide 17

Sociedade A nossa sociedade actual assenta num conjunto de valores que desencorajam o estudo e promovem o insucesso escolar, tais como, a diversão, o individualismo, o consumismo, etc.

Slide 18

As causas apresentadas, como é de prever, têm consequências das quais destacamos: Abandono escolar; Reprovações sucessivas; A passagem dos alunos para tipos de aprendizagem menos exigentes tais como o ensino profissional.

Slide 19

Será a escola um agente “filtrador” da sociedade? A sociedade está em constante modelação, no entanto as classes sociais sempre existiram, e a escola tem vindo a perpetuar essas diferenças sociais. Terão os alunos igualdade perante a escola, ou esta fará uma filtragem dos bons e maus alunos, contribuindo, assim, para o sucesso ou insucesso destes?

Slide 20

Para Pierre Bourdieu e Jean- Claude Passeron, em Os Herdeiros, “os estudantes mais favorecidos não só devem ao meio de origem os hábitos, o treino e as atitudes que lhes são mais úteis nas tarefas escolares, mas herdam também saberes e um savoir-faire, gostos e um bom gosto, cuja rentabilidade escolar, embora indirecta, não deixa de se verificar.”

Slide 21

Baudelot e Establet, em L’École Capitaliste en France, fazem a distinção entre dois canais de escolarização completamente opostos e que se destinam a duas classes diferentes (classe social dominante e classe social dominada).

Slide 22

Segundo Andreia Nascimento (2007), “a escola, apesar de existir para oferecer iguais oportunidades a todas as crianças, mais não faz do que reproduzir a lógica do sistema social, ou seja, as desigualdades sociais existentes. Para as crianças de meios sociais problemáticos a escola é, salvo raras excepções, factor de insucesso escolar, o qual, por sua vez, vai impulsionar a exclusão social”.

Slide 23

A quem imputar a responsabilidade do insucesso escolar? O insucesso escolar não é um fenómeno natural, não é previsível, nem é desejável. É um fenómeno produzido por acções humanas, mas sendo um fenómeno indesejado, ninguém quer assumir responsabilidades.

Slide 24

Rovira (2004) questiona “fracassam os indivíduos, ou fracassa a sociedade, a escola e as políticas educativas?” Segundo Alice Mendonça (2009), “o insucesso escolar resulta de um conjunto de factores sociais e culturais que actuam em conjunto e de modo coordenado. O insucesso escolar não existiria sem essa coordenação de factores”. De uma forma geral, o aluno é o menos responsável pelo seu próprio insucesso e, ao mesmo tempo, o mais prejudicado.

Slide 25

Como combater o insucesso? O tema “Insucesso Escolar” é relativamente recente no nosso país, tendo sido tomado em conta após a queda do regime salazarista. Perante as consequências negativas que acarreta o insucesso, é necessário mobilizar todos os esforços para tentar diminuir este fenómeno que tanto preocupa os nossos estudantes, as famílias e o país. Mas eis que surge a grande questão: como combater o insucesso escolar?

Slide 26

Segundo Elsa Fernandes (2006), “vivemos num mundo cada vez mais informatizado e dependente das novas tecnologias de informação. Torna-se vital a valorização de novos objectivos educacionais e a redefinição dos processos de ensino e modos de actuação dos professores” Com a implementação das novas tecnologias, o papel do aluno volta a ser mais relevante e motivador, indo contra o conceito básico do ensino tradicional, onde o professor exercia o papel principal, sendo as aulas frequentemente expositivas e com pouca interacção. Como a evolução tecnológica é uma realidade bem assente nos nossos dias, cada vez mais se utiliza a tecnologia nos conteúdos curriculares, pois esta permite a diversificação das actividades facilitando assim a resolução de problemas e permitindo uma maior participação do aluno no processo de ensino/aprendizagem.

Slide 27

Alice Mendonça (2009), apresenta um conjunto de medidas para diminuir o insucesso escolar, tais como: Obrigatoriedade de frequência do Ensino Pré-Escolar; Funcionamento das escolas do 1º ciclo em Regime de Tempo Inteiro; Funcionamento de mais turmas com Currículos Alternativos; Aquisição de competências para a integração no mundo laboral durante a escolaridade obrigatória; Redução do número de alunos por turma;

Slide 28

Adopção de manuais e programas por ciclo de escolaridade; Acompanhamento de cada turma pelos mesmo professores, em cada ciclo de estudos; Aplicação de formas de avaliação diversificadas, sem que se valorize em demasia as provas escritas; Desenvolvimento de valores cívicos e de cidadania; Aproximação entre as escolas e os contextos em que se inserem; Desenvolvimento de actividades culturais e desportivas nas escolas; Existência de um professor-tutor.

Slide 29

Metodologia Neste trabalho procedemos à recolha de dados a partir de duas entrevistas que visavam compreender os comportamentos dos indivíduos perante o tema do Insucesso Escolar. Esta é uma metodologia de natureza qualitativa, pois visa compreender o comportamento e experiências humanos.

Slide 30

O que se pretendia com as entrevistas? - Perceber até que ponto o meio onde está inserida a escola influencia o sucesso do aluno; - Compreender a importância da família na motivação da criança/jovem; - Caracterizar o comportamento dos alunos com mais dificuldades; - Analisar a relação Percurso de vida → Desigualdades na Escola; - Analisar qual o papel do professor, da família e da escola no sucesso/insucesso do aluno;

Slide 31

As Entrevistas Guião de Entrevista 2ª 1ª Entrevista Professora de Secundário 2ª Entrevista Educadora do Ensino Especial

Slide 32

Metodologia A primeira entrevista foi feita a uma professora de secundário, na escola dos 2º e 3º ciclos de S. Roque, e a segunda a uma educadora do ensino especial, na escola primária do Lombo dos Aguiares. A recolha dos dados efectuou-se com apoio no material disponível: um gravador áudio e um bloco de notas.

Slide 33

À conversa com as professoras… Na primeira entrevista, com a professora de secundário, pode-se reparar que o meio onde está inserida a escola é um meio problemático, com famílias que dependem exclusivamente do rendimento mínimo e onde os problemas familiares (toxicodependência, alcoolismo, …) se acumulam. Nestas famílias há um desinteresse evidentes perante os estudos dos filhos e, consequentemente, os resultados destes mesmos alunos tendem a ser negativos, demonstrando desta forma que a família tem muita influência no sucesso/ insucesso do aluno. Para esta professora a igualdade no ensino é uma hipocrisia, pois os diferentes percursos de vida não proporcionam essa igualdade. Deste modo, podemos dizer que são os alunos com percursos de vida mais difíceis que apresentam uma maior dificuldade na aprendizagem. São alunos que se caracterizam pela falta de motivação, por uma auto-estima muito baixa e que apresentam muita dificuldade em se relacionar com os outros. Os professores, por seu lado, têm um papel fundamental, pois têm que descobrir o lado bom de cada aluno para evidenciar as suas melhores qualidades. Segundo esta professora, a família também deve ser capaz de motivar o jovem, de forma a que a escola possa fazer o seu papel: preparar cidadãos para serem capazes de intervir socialmente, tendo em conta as competências científicas, os valores e atitudes.

Slide 34

À conversa com as professoras… Na segunda entrevista, a educadora do ensino especial caracteriza o meio onde está inserida a escola como sendo uma zona com muitos problemas económicos, mas onde os pais são interessados na educação dos filhos. Alguns pais, porém, sentem-se frustrados pela sua situação económica e acabam por transmitir essa frustração aos filhos, que tendem a ser crianças muito agressivas. Segundo esta professora, a origem social e económica é determinante no desempenho escolar, assim como acha fundamental o apoio da família aos alunos. Já os professores têm o papel de socializar e de dar o poder de escolha ao aluno. A escola, por seu turno, deve proporcionar um bom ambiente às crianças e criar uma relação com estas. Só assim é que elas vão estar preparadas para aprender.

Slide 35

Algumas considerações Da análise destas duas entrevistas, concluímos que o nível socioeconómico dos alunos é muito importante no sucesso/insucesso destes no meio escolar. As famílias têm um papel preponderante, pois a elas cabe motivar as crianças e jovens e incutir neles a ideia de que a escola é um meio para alcançar os seus objectivos. Quando não há este incentivo por parte da família, dificilmente o aluno terá bons resultados a nível escolar. O comportamento destes alunos com mais dificuldades caracteriza-se pela falta de motivação, pela agressividade e pela dificuldade em se relacionarem com os outros. Estes comportamentos advêm dos percursos de vida que tiveram, o que determinou desde logo o seu insucesso, pois o nosso sistema não está adaptado a esses alunos. Deste modo, temos alunos oriundos de classes sociais e económicas diferentes a frequentar a mesma Escola. Os mais favorecidos têm sucesso, os desfavorecidos não. Assim, não podemos falar em igualdade no ensino, já que os percursos são diferentes. O professor, além de fornecer conteúdos científicos, deverá ter o papel de incentivar e motivar o aluno e incutir nele valores que o tornarão num bom cidadão. A escola, por sua vez, terá o papel de diminuir as diferenças sociais de que falámos anteriormente, de modo a que a igualdade de oportunidades seja uma realidade. Na prática isto não acontece, pois a escola produz o que a sociedade lhe impõe. A sociedade necessita de indivíduos para todos os cargos e cabe à escola fazer essa distribuição.

Slide 36

Considerações Finais Da investigação efectuada concluímos que: Existem inúmeras causas que proporcionam o insucesso escolar, como a família, o aluno, a escola, o sistema educativo, a sociedade, os currículos e os professores; A escola deveria ter o papel de possibilitar a igualdade de oportunidades, mas não faz mais do que perpetuar as diferenças sociais existentes, tornando as diferenças sociais em diferenças escolares;

Slide 37

Considerações Finais A responsabilidade do insucesso escolar não deve ser imputada a uma só entidade. Existe um conjunto de factores que, em simultâneo, compõem todo um cenário compatível com o surgimento desse insucesso; O papel da escola e do professor deve passar não só pelo leccionar conteúdos, mas também motivar e incutir nos alunos valores que lhes proporcionem bons resultados.

Slide 38

Questões 1- Diz se é verdadeira ou falsa a seguinte afirmação: “O aluno é o maior responsável pelo seu próprio insucesso.” Verdadeira Falsa

Slide 39

Questões 2- A escola deveria ter o papel de: a) Perpetuar a estrutura da sociedade; b) Proporcionar a igualdade de oportunidades; c) Facilitar a transição de ano dos alunos; d) Distribuir os alunos pelos diferentes postos de trabalho;

Slide 40

Questões 3- O poderia ser feito para combater o insucesso escolar? Adoptar novos meios para incentivar os jovens a explorarem e a pesquisarem, de modo a verem a escola como algo estimulante e não uma obrigação. Poderiam ser tomadas medidas tais como a redução do número de alunos por turma, o desenvolvimento de actividades culturais e a valorização de outros meios de avaliação, não dando tanto ênfase às provas escritas. Estas são apenas algumas sugestões que achamos que seriam benéficas no combate ao insucesso, mas temos noção que muitas outras poderiam ser apontadas.

Slide 41

Reflexão Os professores de hoje têm pela frente um grande desafio: conduzir com sucesso os seus alunos rumo ao futuro, nunca pedindo o impossível sem antes esgotar todos os possíveis. Nunca nos podemos esquecer que o bom educador é aquele que faz-se pequeno para tornar os pequenos grandes.

Slide 42

Referências bibliográficas Geral: BENAVENTE, Ana, et al. (1994), Renunciar à Escola – O abandono escolar no ensino Básico, Lisboa, Fim de Século Edições LE GALL, André (1993), O Insucesso Escolar 2ª Edição, Lisboa, Editorial Estampa MENDONÇA, Alice Maria Ferreira (2006), A problemática do Insucesso Escolar: a escolaridade obrigatória no arquipélago da Madeira em finais do séc. XX (1994-2000), Dissertação para a obtenção de grau de Doutor em Sociologia da Educação, Funchal, Universidade da Madeira ROVIRA, José Maria Puig (2004), “Educação em Valores e Fracasso Escolar”, in Álvaro Marchesi e Carlos Hernández Gil et al., Fracasso Escolar – Uma Perspectiva Multicultural, Porto Alegre, Brasil, Artmed Editora, pp. 82/90

Slide 43

MENDONÇA, Alice (2009), O Insucesso Escolar: Políticas Educativas e Práticas Sociais, Um estudo de caso sobre o Arquipélago da Madeira, Edições Padago, LDA NASCIMENTO, Andreia (2007), A Sala de Aula Fragmentada: A (des)responsabilização dos agentes educativos no fenómeno do Insucesso Escolar, Relatório de projecto com vista à obtenção do grau de Licenciatura em Sociologia, Lisboa, Universidade Autónoma de Lisboa BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude (s.d), A Reprodução: Elementos para uma teoria do sistema de ensino, Lisboa, Veja CANÁRIO, et al (2001), Escola e exclusão social, Lisboa, Educa, I.I.E.

Slide 44

Sítios na Internet: http://209.85.129.132/search?q=cache:-jkBdhGjdG0J:thesis.ubi.pt/upload/58/213/O%2520INSUCESSO%2520ESCOLAR%2520-%2520IE.doc+insucesso+escolar,+reflexoes+sumarias&cd=1&hl=pt-PT&ct=clnk&gl=pt Data de pesquisa: 15 de Novembro de 2009 http://br.monografias.com/trabalhos3/insucesso-escolar/insucesso-escolar.shtml Data de pesquisa: 20 de Novembro http://educar.no.sapo.pt/Insucesso.htm Data de pesquisa: 21 de Novembro http://pchicologico.blogs.sapo.pt/2498.html Data de pesquisa: 30 de Novembro

Summary: Como combater o Insucesso Escolar? Quais as causas desse insucesso?

Tags: insucesso escolar medidas causas escola família aluno governo entrevistas

URL: