Sexo na Adolescência

0

No comments posted yet

Comments

Slide 1

SEXO NA ADOLESCÊNCIA A Adolescência, período de vida compreendido entre 10 e 20 anos, é uma fase bastante conturbada. Ocorrem transformações físicas e emocionais importantes, preparando a criança para assumir um papel perante a família e a sociedade. A criança desenvolve-se, amadurece e fica apta para usufruir de sua sexualidade, firmando sua identidade sexual. A fase onde há modificações no corpo chama-se de Puberdade. Ocorre a primeira menstruação nas meninas(menarca), as poluções masculinas(ejaculações espontâneas sem coito), o crescimento de pelos no corpo, a mudança de voz nos rapazes, o amadurecimento da genitália, com aumento do tamanho do pênis e dos seios, entre outros. Mas nem sempre esta fase vem acompanhada das transformações emocionais e sociais que são o marco da adolescência. Depende da cultura de cada povo, a adolescência pode chegar mais tarde independente da criança estar já bem desenvolvida fisicamente. O processo de educação continuada e a grande soma de informações por exemplo, acabam por retardar a necessidade, dos jovens, na busca de uma vida separada de seus pais. Já nas sociedades mais simples, como em

Slide 2

algumas regiões do Brasil, da África ou da Ásia, a necessidade de força braçal, antecipa a entrada da criança na adolescência e ganho de responsabilidades que lhe são devidas. TRAUMAS O trauma psicológico aparece sempre que a pessoa se inicia em qualquer área sem estar preparada. Os problemas psicológicos futuros, neste caso, são inevitáveis.No caso sexual, a iniciação inadequada pode refletir na conduta dos anos seguintes, trazendo ansiedade durante a relação sexual, disfunções e dificuldades no relacionamento. O ADOLESCENTE E A SUA SEXUALIDADE A jovem adolescente amadurece em média dois anos antes do rapaz. Busca fortificar sua feminilidade prorrogar os encontros sexuais e selecionar um parceiro adequado para poder ter sua primeira relação sexual, o que ocorre de forma gradativa. Vai experimentando seus limites progressivamente. Os rapazes buscam encontros sexuais com mais ansiedade, geralmente, persuadindo as garotas ao sexo com eles, em nosso meio há uma tendência do jovem em experimentar sensações sexuais com outros de sua idade sem necessariamente vivenciado com orgulho ou com culpa excessiva, de acordo com a

Slide 3

educação e tradição família. Inicialmente, os jovens buscam apenas envolvimento sexual, testando suas novas capacidades e realizações frente a sensações antes desconhecidas. Só depois procuram o envolvimento afetivo complementar passando a conviver não apenas em bandos, mas também aos pares. A masturbação faz parte da vida das pessoas desde a infância e, na adolescência, se intensifica com a redescoberta de sensações, tanto individualmente quanto em dupla ou em grupo. Os jovens podem apresentar algum tipo de atividade homossexual nessa fase, como exposição das genitais, masturbação recíproca e comparação dos seios e dos genitais em grupo (comparação do tamanho do pênis, por exemplo), atividades estas consideradas absolutamente normais. A fortificação dessas condutas, com o abuso sexual por parte de um adulto de mesmo sexo ou com alta ansiedade perante o sexo oposto, pode desenvolver uma orientação homossexual definitiva nos jovens. Em tempos da super informação, com a internet, a globalização, a pouca

Slide 4

censura nos meios de comunicação de massa, há um apelo sexual freqüentes e precoce, expondo os jovens a situações ainda bem compreendidas por eles. Os adolescentes falam como adultos, querem se portar como tal e tem privilégios da maturidade. É a redescoberta do corpo. No entanto, falta-lhes a experiência, a responsabilidade e o significado real de um desenvolvimento sexual. A gravidez de risco na adolescência, infelizmente, é um dos resultados desastrosos desta situação atual. A pouca informação qualificada e o precário respeito dos adultos permite as necessidades dos jovens os verdadeiros responsáveis pelo falso e ilusório desenvolvimento dos adolescentes de hoje. Normalmente os adolescentes com 14 anos têm um amigo íntimo e canalizam o erótico para histórias, confidências e piadas. Com 15 anos, ocorre a abertura para a heterossexualidade e o adolescente começa a ter sua identidade sexual afirmada. Dos 17 aos 23 anos, essa identidade é consolidada e o jovem passa a ter um objeto amoroso único, com quem mantém intercâmbio amoroso. A partir da adolescência que o jovem começa a se preocupar com os riscos trazidos pela AIDS. A desinformação costuma reforçar os preconceito.

Slide 5

Algumas situações vividas entre duas pessoas não trazem ameaça de contaminação pelo vírus HIV. DST O que são? É uma ampla expressão as chamadas Doenças Venéreas. As mais conhecidas são a Gonorréia, a Sífilis e a AIDS, mas diversas outras provocam sérios problemas de saúde. Adquiridas através de relações sexuais, se não forem tratadas adequadamente podem se tornar muito perigosas. Sífilis A Sífilis é transmitida por uma bactéria chamada “Treponema pallidum”, através da relação sexual ou de transfusões de sangue não testado. A Sífilis pode levar à morte, mas tem cura se tratada adequadamente e a tempo. Atenção:As mulheres grávidas podem passar a doença para o bebê, que pode nascer com as lesões da sífilis, ter malformação e até morrer. O simples exame de sangue no pré-natal identifica a doença, e o tratamento adequado pode evitar que o bebê com sífilis congênita.

Slide 6

AIDS A AIDS, apesar dos tratamentos existentes, leva à morte. É causada por um vírus, o HIV, que destrói os mecanismos de defesa(anticorpos) do corpo humano. A AIDS deixa o organismo enfraquecido, sem defesa e sem condições de reagir contra outras doenças infecciosas. AIDS QUEM CORRE RISCO Todas as pessoas que mantém relações sexuais mudando frequentemente de parceiros, sejam bissexuais(pessoas que transam com parceiros de ambos os sexos), homossexuais(pessoas que transam com parceiros de sexo igual) ou heterossexuais(homens e mulheres que só transam com pessoas de sexo oposto). Todas as pessoas que não usam camisinha durante as relações sexuais.

Slide 7

GRÁFICOS Pessoas com quem adolescentes conversão sobre sexo.

Slide 8

Relação entre sexo e métodos contraceptivos

Slide 9

Distribuição dos casos registrados de violência, segundo faixa etária e sexo* da vítimas e locais de ocorrência.

Slide 10

Alunas(os): n°: Jhonathan Rodriguês Pereira. 16 Ketlim Maiara Gomes Amorim. 19 Kleiton André Andrade. 20 Lorrana Ludimila Dos Santos Galindo. 21 Natalia Augusto Dos Anjos. 25 Rosilene Gomes Nunes. 29 Escola Estadual Eldorado. 1º E. M.’’A’’. Trabalho de Matemática, Filosofia e Sociologia. Professores:Lizionete Paro da Cunha e Ronaldo Lima Brandão.

URL: