4ª aula Termos usados em Farmácia

+52

No comments posted yet

Comments

josivan3126 (2 years ago)

vldkvclkvçxvcxvçxvçl

Slide 1

Termos Usados em Farmácia Profa. Eliana M. D. Chiacchio

Slide 2

Termos usados em Farmácia - Saúde: É o bem estar físico, social e psíquico. - Doença: É a alteração do estado físico, psíquico ou social. - Remédio: É um processo físico (calor, frio,irradiação),biológico (transfusão, insulina, hormônio) e químico (medicamentos) usados para prevenir, atenuar e curar doenças.

Slide 3

Origem dos Medicamentos 1) Natural: Animal: (tiroxina, insulina, adrenalina) Vegetal: (Papaver soniferum—morfina Nicotiana tabacum—nicotina) Mineral: (enxôfre,iôdo,sais de magnésio) Microrganismo: (Penicillum notatum—penicilina Cefalosporium acremonium—cefalosporina)

Slide 4

Origem dos Medicamentos 2) Semi- sintéticos: è um produto natural modificado em laboratório. Ex: codeína (metilação da morfina), metildopa (metilação da dopa), etc. 3) Sintéticos: totalmente elaborados dentro de um laboratório. Ex:dipirona (analgésico), clorpromazina (neuroléptico), halotano (anestésico geral).

Slide 5

Classificação dos medicamentos 1) Medicamentos genéricos : É aquele comercializado com o nome Genérico de acordo com a lei nº 9.787/99 Deve estar escrito na embalagem “ Medicamento Genérico” dentro de uma tarja amarela. Apresentar: Biodisponibilidade: é o tempo e a quantidade que o medicamento leva para estar disponível na circulação e produzir efeito. Bioequivalência: medicamentos que usam o mesmo princípio ativo com aditivos diferentes fabricados por diferentes laboratórios e que devem fazer o mesmo efeito.

Slide 6

Classificação dos medicamentos - Denominação Genérica : Identifica o princípio ativo do medicamento. - Medicamento genérico : É o produto farmacêutico similar ao de marca primeiramente registrado, com garantia através de testes de qualidade. Portanto : Todo medicamento tem uma denominação genérica, mas nem todo medicamento tem o seu genérico (produto genérico).

Slide 7

Classificação dos medicamentos 2) Medicamentos de referência: é aquele que serviu de comparação para o teste dos medicamentos genéricos.

Slide 8

Classificação dos medicamentos 3) Medicamento Similar: é aquele comercializado com um nome de fantasia, é “copiado” de um medicamento de referência. Deve ter o mesmo princípio ativo, mesma concentração, forma farmacêutica, preventiva ou diagnóstica do medicamento de referência,podendo diferir na apresentação, forma, embalagem, rotulagem, excipientes, veículos e validade. Deveria ter a mesma biodisponibilidade e bioequivalência do medicamento de referência. Ex: Cefalexina (princípio ativo) Keflex (medicamento de referência) Ceprexim (medicamento similar) Cefalexina (medicamento genérico)

Slide 9

Apresentação (embalagem) Embalagem: É o invólucro, recipiente ou qualquer forma de acondicionamento, removível ou não, destinado a cobrir, empacotar, envasar, proteger ou manter especificamente ou não os produtos. As embalagens dos medicamentos podem ser de duas formas: - Comercial. - Hospitalar.

Slide 10

Especialidades farmacêuticas “INFORMAR É O MELHOR REMÈDIO” Remédios não devem ser utilizados sem orientação, ler a bula e receita com letra legível para diminuir as trocas acidentais ou intencionais de medicamentos

Slide 11

Formula Farmacêutica Fórmula : é a indicação qualitativa e quantitativa de todos os princípios ativos, veículos e aditivos que compõem o medicamento. Uma fórmula, em geral, deve constituir-se de princípio ativo e veículo ou excipiente. O princípio ativo é o agente medicamentoso mais importante de uma fórmula, é o responsável pelo efeito farmacológico. Devemos observar alguns fatores: - barreiras que o fármaco necessita passar. - local e uso do fármaco. - urgência e situação médica. - estabilidade do fármaco. - efeito de primeira passagem. - interação medicamentosa.

Slide 12

Forma Farmacêutica É a apresentação ou forma externa de um medicamento que contém uma dose determinada e permite sua administração ao paciente. Existem diferentes formas de apresentação dos medicamentos:

Slide 13

Apresentação dos medicamentos Apresentação: é a forma que o medicamento é disponível no mercado, pode ser: - sólido: (pó, cpr, drágeas, cps, óvulos, supositórios). - liquido: (sol., injeção, poção, susp., tintura, extratos, xarope, colírio). - gasoso: (aerossóis , vapores). - semi-sólidos ou intermediários: (pomadas, cremes, geléia).

Slide 14

Medicamentos Sólidos Sólidos: - supositórios para administrar por via retal. - óvulos para aplicar na vagina. - velas para aplicar na uretra - Pó: nunca direto na boca, sempre diluído com água.

Slide 15

Medicamento sólido - Comprimidos, drágeas e cápsulas: geralmente tomados com um copo de água. Não devem ser partidas ou mastigadas, cápsulas não devem ser abertas. - Comprimidos Retard: são de ação prolongada, não devem ser abertas, partidas ou mastigadas. - Comprimidos sublingual : Procurar não engolir, deixar que a saliva o dissolva.

Slide 16

Medicamentos líquidos - Soluções. - xaropes. - suspensões, para a via oral. - Emulsões e loções para a pele. - Colírios para os olhos. - Líquidos para administração via parenteral . Medidas: - colher de café = 2ml - colher de chá = 5ml - colher de sopa = 10ml

Slide 17

Medicamentos gasosos - Sprays para garganta: lançar no local, aguardar, não engolir saliva e só beber água depois de um certo tempo. - Inalação. - Aerossol.

Slide 18

Medicamentos semi-sólidos - unguentos. - pomadas. - cremes, para aplicar na superfície do corpo ou na mucosa.

Slide 19

Outras Apresentações - Enema. - Pomadas auriculares - Injeção: intramuscular , endovenosa, subcutânea, etc. - Colírios e pomadas oftálmicas. - Supositórios. - Elixir

Slide 20

Outras Apresentações - Adesivos transdérmico. - Gôtas nasais e otológica. - Sprays e aerossóis para pele. - Sprays nasais. - Inalação oral.

Slide 21

Termos usados em Farmácia Princípio ativo: É a substância química que possui propriedades farmacológicas e que provoca a ação terapêutica.

Slide 22

Dose É a quantidade de medicamentos que deve ser dada ao paciente de cada vez, para produzir efeito terapêutico.

Slide 23

Tipos de dose 1) dose mínima :é a menor quantidade de medicamento capaz de produzir efeito terapêutico. 2) dose máxima: é a maior quantidade de medicamento que pode ser dada a um paciente sem apresentar efeitos indesejáveis.

Slide 24

Tipos de dose 3) dose tóxica ou letal : ultrapassa a máxima de segurança (morte). 4) dose de manutenção: desejados na corrente sanguínea e tecidos durante o tratamento.

Slide 25

Tipos de dose 5) dose terapêutica: é a quantidade ideal de medicamento a ser dada a um paciente para se obter um ótimo efeito. 6) dose de ataque : é uma dose maior que se usa para atacar rapidamente uma infecção (meningite, infecção bacteriana, septicemia).

Slide 26

Posologia É a dosagem e a freqüência que o medicamento será dado a um paciente. Ex: um antibiótico deve ser ministrado rigorosamente tanto na dose como na freqüência.

Slide 27

Considerações sobre a profissão Farmacêutica Residência Farmacêutica: 30 de junho de 2005 ,MP nº238/05, foi criada a residência na área de saúde , de nível superior,inclusive para os farmacêuticos. Os cearenses são os pioneiros e, já estão fazendo essa residência em Farmácias Hospitalares.A duração é de 2 anos, dedicação exclusiva, 6.000 horas, sendo 90% de atividades práticas e 10% teóricas.

Slide 28

Residência Farmacêutica: Objetivo É capacitar o farmacêutico e dar a eles oportunidades de atuar em equipes multiprofissionais, além de prestar serviços á comunidade, o profissional passará por todas as áreas de atuação da farmácia hospitalar (manipulação de quimioterápicos, nutrição parenteral, gestão, logística,CIM, etc.), farmácia clínica e atenção farmacêutica.

Slide 29

Considerações sobre a profissão Farmacêutica - Farmacêutico na Atenção Básica: No Brasil esta conquista já esta assegurada pela portaria 698/06. Jaldo de Souza (presidente CFF) criou a portaria 698/06 que garante o ingresso dos profissionais farmacêuticos em todo o conjunto de atenção básica de Saúde Pública . - Farmacêutico no “Programa Saúde Familiar” (PSF). O farmacêutico atuará nos programas ligadas a doenças como: AIDS, Diabetes e Hipertensão. Colocando o farmacêutico em contato direto com as necessidades sanitárias e sociais da população brasileira.

Slide 30

Considerações sobre a profissão Farmacêutica Assistência Farmacêutica: É acompanhar o medicamento desde a fabricação até a cura da indisposição do paciente , explica como consumir o medicamento. Não é a entrega e sim a cura do paciente. Grupo de atividades relacionadas com o medicamento, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade. (Portaria 3.916/98MS : Tem por base os princípios e diretrizes do SUS e seu propósito maior é o de “garantir a necessária segurança, eficácia e qualidade dos medicamentos, a promoção do uso racional e o acesso da população àqueles considerados essenciais”).

Slide 31

Considerações sobre a profissão Farmacêutica Atenção Farmacêutica : São trabalhos feitos com grupos de pessoas direcionando palestras, caminhadas, exercícios físicos, saber ouvir e orientar sempre procurando o melhor para os pacientes.

Slide 32

Considerações sobre a profissão Farmacêutica O Curso de Farmácia forma um profissional capaz de pesquisar, manipular e produzir medicamentos, além de cuidar do seu armazenamento e distribuição. Pode também fazer análises de alimentos, farmacológicas, epidemiológicas e atuar na vigilância sanitária. Ele trabalhará em áreas como farmácia comercial, homeopática, de manipulação e hospitalar. Pode também atuar no campo das Análises Clínicas “Farmácia Generalista”

Slide 33

Termos usados em Farmácia Farmácia : Estabelecimento de manipulação de fórmulas magistrais e oficiais , de comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos , compreendendo a dispensação e o atendimento privativo, de unidade hospitalar ou de qualquer outra equivalente de assistência médica. Farmácia Privativa: É a farmácia de unidade hospitalar ou ambulatorial integrante de órgão público que se destina a atendimento exclusivo a determinado grupo de usuários (Decreto nº 74.170 de 10/06/1.974)

Slide 34

Termos usados em Farmácia Drogaria : Estabelecimento de dispensação e comércio de drogas , medicamentos e insumos farmacêuticos e correlatos em suas embalagens originais. Dispensação: É o ato de fornecimento de medicamentos ao consumidor , a título remunerado ou não.

Slide 35

Termos usados em farmácia Medicamento: Substância/ princípio ativo, tecnicamente obtido ou elaborado, com finalidade profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnóstico. Medicamento essencial : “medicamentos essenciais são aqueles com eficácia e segurança comprovadas, ao melhor custo possível, pois são imprescindíveis para o tratamento das doenças prevalentes na população – alvo.”

Slide 36

Droga Droga é qualquer substância que seja capaz de modificar a função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento. Por exemplo, uma substância ingerida contrai os vasos sangüíneos (modifica a função) e a pessoa passa a ter um aumento de pressão arterial (mudança na fisiologia). Outro exemplo, uma substância faz com que as células do nosso cérebro (os chamados neurônios) fiquem mais ativas, "disparem" mais (modificam a função) e como conseqüência a pessoa fica mais acordada, perdendo o sono (mudança comportamental )

Slide 37

Termos usados em farmácia Droga, Fármaco ou Medicamento: É toda substância química que tem ação sobre os seres vivos, alterando-os e que não constituem alimentos. Usados para prevenir, solucionar ou amenizar os sintomas de uma doença. Veneno: É uma droga numa dosagem errada e que provoca lesões no organismo (KCN). Obs: droga fora de uma sala de aula podemos dizer que é uma substância que causa dependência química

Slide 38

Termos usados em farmácia Veículo: Substâncias acrescidas aos princípios ativos com a finalidade de dar forma ao medicamento ou de ajudar na sua ação. Remédio: É um processo físico (calor, frio,irradiação),biológico (transfusão, insulina, hormônio) e químico (medicamentos) usados para prevenir, atenuar e curar doenças.

Slide 39

Termos usados em farmácia - Ação profilática: ação de prevenir doenças. - Ação de auxilio de diagnóstico: substância usada para auxiliar no diagnóstico de alguma doença. - Ação terapêutica: ação de curar ou melhorar os sintomas de uma determinada doença. - Ação local ou tópica: o medicamento age no local de aplicação. - Ação sistêmica: o medicamento precisa ser absorvido e atingir o local de ação (sistema).

Slide 40

Termos usados em farmácia - Ação local ou tópica: o medicamento age no local de aplicação. - Ação sistêmica: o medicamento precisa ser absorvido e atingir o local de ação (sistema).

Slide 41

Termos usados em farmácia Medicamento homeopático: Medicamento feito com as técnicas homeopáticas. Podemos resumir a homeopatia como a “cura pelo semelhante” ou seja, o medicamento homeopático causa no organismo uma reação semelhante à doença, fazendo com que o próprio organismo reaja a ela. Ex: quinina (usado na cura da malária) mas, em pessoas saudáveis produz sintomas semelhantes à malária.

Slide 42

Termos usados em farmácia Medicamento Alopático: Medicamento feito com as técnicas alopáticas. Podemos resumir alopatia como a “cura pelo contrário”ou seja, o medicamento causa um efeito contrário á doença, melhorando-a ou curando-a.

Slide 43

Termos usados em farmácia Medicamento Fitoterápico: Medicamento feito a base de plantas medicinais (desde que, não sejam modificados os princípios ativos).

Slide 44

Termos usados em farmácia Receita: Prescrição escrita ou datilografada (legível) de medicamento, contendo orientação de uso para o paciente, efetuada por profissional legalmente habilitado, quer seja de formulação magistral ou de produto industrializado. Documento legal que autoriza a dispensação de medicamentos. A receita deve conter (de forma legível): - Identificação do emitente – impresso da instituição ou do profissional, contendo nome e endereço. - Nome completo do paciente (usuário). - Nome do medicamento(s) ou substância prescrita sob a forma de Denominação Genérica (DCB), dosagem ou concentração, forma farmacêutica, quantidade (em algarismos arábicos e por extenso) e posologia (por ex: 1 cp de 12 em 12 hs). - Data da emissão. - Assinatura e carimbo do prescritor.

Slide 45

Termos usados em Farmácia Livro de Registro Específico: Livro destinado à anotação, em ordem cronológica, de estoques, de entradas (por aquisição), de saídas (por venda, processamento, uso) e de perdas de medicamentos sujeitos a controle especial. Livro (ou Planilhas) de Registro de Receitas: Livro destinado ao registro, em ordem cronológica, de todas as receitas atendidas em que não foi possível reter a segunda via na unidade.

Slide 46

Psicotrópicas É qualquer substância que seja capaz de modificar a função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento. Por exemplo, uma substância ingerida contrai os vasos sangüíneos (modifica a função) e a pessoa passa a ter um aumento de pressão arterial (mudança na fisiologia). Outro exemplo, uma substância faz com que as células do nosso cérebro (os chamados neurônios) fiquem mais ativas, "disparem" mais (modificam a função) e como conseqüência a pessoa fica mais acordada, perdendo o sono (mudança comportamental). Mexem com o SNC. Então psicotrópico significa atração pelo psiquismo e drogas psicotrópicas são aquelas que atuam sobre o nosso cérebro, alterando de alguma maneira o nosso psiquismo

Slide 47

Classificação das drogas psicotrópicas 1) Depressores da Atividade do SNC: Álcool Soníferos ou hipnóticos (drogas que promovem o sono): barbitúricos, alguns benzodiazepínicos; Ansiolíticos (acalmam; inibem a ansiedade). As principais drogas pertencentes a essa; classificação são os benzodiazepínicos. Ex.: diazepam, lorazepam) Opiáceos ou narcóticos (aliviam a dor e dão sonolência). Ex.: morfina, heroína, codeína. Inalantes ou solventes (colas,tintas, removedores, etc) Estimulantes da Atividade do SNC; Perturbadores da Atividade do SNC.

Slide 48

Classificação das drogas psicotrópicas 2) Estimulantes da Atividade do SNC. - Anoregínos (diminuem a fome) principais drogas pertencentes a essa classificação são as anfetaminas. Ex.: dietilpropriona, femproporex, etc. - Cocaína (diminuem a fome). P

Slide 49

Classificação das drogas psicotrópicas 3) Perturbadores da Atividade do SNC. - de origem vegetal: mescalina (do cacto mexicano) THC (da maconha); psilocibina (de certos cogumelos) lírio (trombeteira, zabumba ou saia branca) - de origem sintética: LSD-25; "Êxtase" anticolinérgicos (Artane, Bentyl)

Slide 50

Entorpecentes São substâncias naturais ou sintéticas que ao penetrarem no organismo humano sob qualquer forma - ingeridas, injetadas, inaladas ou absorvidas pela pele - entram diretamente na corrente sanguínea, atingem o cérebro e alteram seu equilíbrio fazendo com que a pessoa sinta tudo “diferente”. As drogas, muitas vezes, provocam alterações no lado: físico, espiritual, mental ou emocional de uma pessoa, mudando seu comportamento. Conseqüentemente, um usuário de drogas pode ter uma personalidade desequilibrada e apresentar um comportamento inconveniente ou até mesmo irresponsável.

Slide 51

Alerta O tráfico é dependente de você. Quem compra droga financia o tráfico. Conseqüentemente, um usuário de drogas pode ter uma personalidade desequilibrada e apresentar um comportamento inconveniente ou até mesmo irresponsável.

Slide 52

Imunossupressores - Principais usos: doença autoimunes e transplante orgãos. - Principais classes de fármacos Glicocortióides Inibidores de calcineurina Agentes antiproliferativos/ antimetabólitos. - Principais problemas: Tratamento a longo prazo Inespecificidade Risco de infecções e câncer

Slide 53

Retinóides Os retinóides (derivados de síntese da vitamina A), formam junto com a talidomida, o grupo de medicamentos de maior poder teratogênico conhecido na espécie humana. Atualmente dois derivados estão em uso clínico: a isotretinoína e o etretinato.

Slide 54

Termos usados em Farmácia Notificação de Receita (deve estar acompanhada da receita): Documento padronizado, que autoriza a dispensação do medicamento, destinado à notificação da prescrição de medicamentos: - Entorpecentes (cor amarela) - Psicotrópicos (cor azul) - Retinóides de uso sistêmico e imunossupressores (cor branca). A Notificação referente aos dois primeiros grupos deverá ser firmada/prescrita por profissional devidamente inscrito no Conselho Regional de Medicina, no Conselho Regional de Medicina Veterinária ou no Conselho Regional de Odontologia, sendo que as prescrições por cirurgiões dentistas e médicos veterinários só poderão ser feitas quando para uso odontológico e veterinário,respectivamente (Portaria 344/98-SVS/MS, Art.38, Capítulo V – da Prescrição da Notificação da Receita). OBS: Os do terceiro grupo (retinóides) são de prescrição exclusiva de profissional inscrito no Conselho Regional de Medicina.

Slide 55

Teratogênico Chamamos de agente teratogênico tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais (retardo de crescimento, por exemplo), ou ainda distúrbios neuro-comportamentais, como retardo mental.

Slide 56

Teratogenia ALGUNS EXEMPLOS DE AGENTES TERATOGÊNICOS:   - Medicações (talidomida, misoprostol, ácido retinóico, entre outros); - Doenças Materna (diabete, epilepsia, por exemplo); - Infecções (rubéola , toxoplasmose e muitas outras); - Radiações (radiografias e radioterapia); - Substâncias Químicas (mercúrio, chumbo, por exemplo); - Outras Drogas (álcool, fumo, cocaína e outras).

Slide 57

Termos usados em Farmácia Correlato: Substância, produto, aparelho ou acessório não enquadrado nos conceitos anteriores, cujo uso ou aplicação esteja ligado à defesa e proteção da saúde individual ou coletiva, à higiene pessoal ou de ambiente, ou a fins diagnósticos e analíticos; os cosméticos e perfumes, e, ainda, os produtos dietéticos, óticos, de acústica médica, odontológicos e veterinários .

Slide 58

Termos usados em Farmácia Rótulo: Identificação impressa ou litografada, bem como dizeres pintados ou gravados a fogo, pressão ou decalco, aplicada diretamente sobre o recipiente, vasilhames, invólucros, envoltórios ou qualquer outro protetor de embalagem.

Slide 59

Termos usados em Farmácia Partida ou lote: Quantidade de um medicamento ou produto que se produz em um ciclo de fabricação, cuja característica essencial é a homogeneidade. Número de lote: Designação impressa no rótulo e na embalagem de medicamentos, que permite identificar a partida, série ou lote a que pertencem, para em caso de necessidade, localizar e rever todas as operações de fabricação e inspeção praticadas durante a produção. Quarentena (interdição/ suspensão): Período de tempo, durante o qual os medicamentos são separados, em local específico, aguardando os resultados de análise (controle de qualidade). A liberação ocorrerá após a aprovação para uso dos setores competentes

Slide 60

Termos usados em Farmácia Embalagem: Invólucro, recipiente ou qualquer forma de acondicionamento, removível ou não, destinado a cobrir, empacotar, envasar, proteger ou manter especificamente ou não os produtos. Estoque : Quantidade de determinado produto, mantido em número suficiente para utilização de acordo com as necessidades. Armazenamento : Constitui–se de um conjunto de procedimentos técnicos e administrativos que envolvem diversas atividades visando a conservação adequada e segura de medicamentos, tais como: Recebimento de medicamentos: ato de examinar e conferir.

Slide 61

Siglas DCB: Denominação Comum Brasileira – Ex : amoxicilina/ captopril. DCI: Denominação Comum Internacional. REMUME : Relação Municipal de MedicamentosEssenciais. CIM : Centro de Informações sobre Medicamentos. CFT- SMS : Comissão de Farmacoterapêutica da Secretaria Municipal da Saúde. OMS : Organização Mundial de Saúde. SUS : Sistema Único de Saúde.

Slide 62

Medicamentos 1-Uso de Medicamento Uso correto do medicamento diminui na proporção que o tratamento se prolonga ou quando se usa vários medicamentos ao mesmo tempo. Vários medicamentos numa mesma receita, podem promover erros: - na prescrição médica durante a leitura e entendimento da prescrição e - na obediência correta da prescrição.

Slide 63

Uso de Medicamento Obs: - 50% das doenças crônicas seguem a prescrição - 100% quando internados. - Menos de 25% quando em ambulatório, quando se medicam em casa ( pelos familiares). - E menos ainda em pacientes não lúcidos e inconscientes.

Slide 64

Medicamentos 2) Medicamento de receita obrigatória e de venda livre: a) Receita obrigatória : Os medicamentos são prescritos por profissionais ( são mais seguras). Podem ser prescritas pelos médicos, dentistas e veterinários. b) Venda livre : Sem prescrição médica.

Slide 65

Medicamentos 3- Nome do medicamento: - Nome genérico: Identifica o princípio ativo do medicamento - Nome comercial: (escolhido pelo laboratório).. É registrado e protegido internacionalmente e identifica um medicamento como produto de uma determinada indústria. Um mesmo medicamento pode ser comercializado sob muitos nomes de fantasia. Ex: Capoten®/ Hipoten® (captopril) - Nome químico: (estrutura molecular). É o nome dos elementos químicos que compõem a fórmula farmacêutica do medicamento. O nome químico do Captopril é : L-Prolina, 1-(3-mercapto-2metil-1-oxopropil).

Slide 66

Medicamentos 4- Ação dos medicamentos: - Eles aceleram ou retardam as reações bioquímicas. A intensidade de ação do medicamento depende de como acontece estas respostas. Ex: Diuréticos são usados para inibir a reabsorção nos túbulos renais, aumentando o volume de urina.

Slide 67

Medicamentos 5- Resposta ao medicamento : Os indivíduos respondem de maneiras diferente aos medicamentos : a) Uma pessoa de grande estatura geralmente precisa de uma dose maior do que um pequeno, para que ocorra o mesmo efeito. b) Recém nascidos e idosos metabolizam mais lentamente que crianças e adultos.

Slide 68

Medicamento c) Pessoas que tem problemas renais tem dificuldades para eliminar os medicamentos. d) Conceito de uma dose médio padrão, é como um “tamanho único” para roupas, ela veste bem um grande numero de pessoas suficientemente bem, mas quase ninguém fica vestido com perfeição.

Slide 69

Medicamentos 6) Reações diversas: Embora alguns medicamentos sejam bem seletivos, ainda não existe o remédio perfeito que atinja somente o tecido alvo sem atingir outros tecidos. Ex: - Os anti-histamínicos ajudam no sintoma da alergia mas causa náuseas, sonolência, boca seca, etc. - Aspirina: analgésico, anti-térmico e antiinflamatório mas acentua crises de asma.

Slide 70

Medicamentos 7- Eficácia e segurança : - Todo substância pode ser medicamento ou veneno, dependendo da dose. - Quanto maior a margem de segurança , ou seja a diferença entre a dose terapêutica e a dose letal, mais seguro será o medicamento.

Slide 71

Medicamentos 8- Interações medicamentosas: São usadas muitas vezes para se obter um efeito maior do que no uso de somente um medicamento. Ex: Para se reduzir umapressão alta, podemos associar um anti-hipertensivo, um ansiolítico e um diurético. Mas muitas vezes uma interação pode prejudicar o paciente. Obs: Aspirina + Anticoagulante podem causar hemorragias indesejadas.

Slide 72

Medicamentos Tipos de Interação medicamentosa a)Interações Farmacológicas: os medicamentos quando misturados num frasco de soro estes reagem entre si. b) Interações Farmacodinâmicas: Ocorre nas moléculas ou células bloqueando uma ou outra droga de se interagir com seu receptor alvo.

Slide 73

Vias de administração dos Medicamentos São as vias por onde o medicamento é introduzido no nosso organismo. Essas vias são divididas em : Enterais: são as vias que têm comunicação com o tubo digestivo. Parenterais: são as vias que não têm comunicação com o tubo digestivo.

Slide 74

Vias de administração Enteral - Via oral - Via retal

Slide 75

VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DOS MEDICAMENTOS A escolha da via de administração (porta de entrada no organismo) é o primeiro passo para que um medicamento possa fazer efeito. Vias de administração são as diferentes formas de aplicar um medicamento: Vias de Administração de Formas Farmacêuticas - Via Oral: Comprimido, cápsula, pastilhas, drágeas, pós para reconstituição, gotas, xarope, solução oral, Suspensão - Via Sublingual: Comprimidos sublinguais

Slide 76

VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DOS MEDICAMENTOS - Via Oral: Comprimido, cápsula, pastilhas, drágeas, pós para reconstituição, gotas, xarope, solução oral, Suspensão - Via Sublingual: Comprimidos sublinguais. - Via Cutânea (pele). - Soluções tópicas, pomadas, cremes, loção, gel, adesivos.

Slide 77

VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DOS MEDICAMENTOS - Via Nasal: Spray e gotas nasais. - Oftálmica: (olhos)Colírios, pomadas oftálmicas. - Via Auricular: (ouvido)Gotas auriculares ou otológicas, pomadas auriculares. - Via Vaginal: Comprimidos vaginais, cremes, pomadas, óvulos. - Via Reta: lSupositórios, enemas. - Via parenteral: (injetável)Soluções e Suspensões injetáveis

Slide 78

OS EFEITOS DOS MEDICAMENTOS O efeito do medicamento, é a alteração que ele é capaz de produzir no organismo. Cada medicamento contém uma substância chamada “princípio ativo” que atua sobre uma parte do corpo e pode produzir um ou mais efeitos. Ex: a hidroclorotiazida atua sobre os rins e produz como um de seus efeitos a diminuição da pressão arterial.

Slide 79

Efeito dos medicamentos Efeito farmacológico: o princípio ativo atua sobre determinadas células e órgãos ou em todo o corpo. O resultado é chamado de efeito farmacológico. Um medicamento em geral produz múltiplos efeitos e entre eles: 1) Efeito principal : É aquele que queremos obter. Ex: o efeito farmacológico principal do salbutamol é a dilatação dos brônquios (broncodilatação) que permite aliviar um paciente com crise de asma. 2) Efeito indesejável ou adverso: Conforme o próprio nome está dizendo é um efeito que não desejamos, mas é produzido pelo mesmo medicamento. Freqüentemente são inevitáveis e pouco graves, mas às vezes podem ser muito graves. Ex: o salbutamol, além de atuar sobre os brônquios, atua também sobre o coração provocando um aumento dos batimentos cardíacos (taquicardia) . É um efeito adverso, geralmente não grave.

Slide 80

Efeito dos medicamentos Cabe ressaltar que muitos medicamentos com prescrição e uso comuns podem provocar efeitos adversos (reações alérgicas), como por exemplo o cloranfenicol e a dipirorona (que em 1 caso em 50.000 podem promover aplasia de medula óssea). 3) Efeito placebo: a administração de medicamentos pode produzir além do efeito farmacológico, um efeito adicional: o “efeito placebo”, que é um efeito psicológico que depende da fé ou confiança que o paciente tem no medicamento, na Unidade de saúde ou na pessoa que o orienta (geralmente o médico, a enfermagem e a pessoa do serviço de farmácia). Ex: Se ao tomar um comprimido de ácido acetilssalicílico, sentirmos alívio do sintoma (dor ou febre) em 5 minutos, é considerado efeito placebo, pois são necessários 20 minutos para o efeito farmacológico deste medicamento ocorrer.

Slide 81

O PROGRAMA 5 S O 5 S é um programa desenvolvido no Japão que tem por objetivo organizar o ambiente de trabalho, de modo a melhorar o nosso desempenho profissional. O nome 5 S tem origem nas iniciais de 5 palavras japonesas: SEIRI, SEITON, SEISO, SEIKETSU, SHITSUKE. O 5 S É UM PROGRAMA QUE VAI ALÉM DO TRABALHO. É UMA QUESTÃO DE CIDADANIA, RESPEITO AO PRÓXIMO E A SI MESMO.É QUALIDADE DE VIDA

Slide 82

O PROGRAMA 5 S SEIRI: senso de utilização. Quer dizer que devemos separar o que é útil do inútil, isto é, guardar o que é necessário e jogar fora aquilo que não tem mais utilidade. SEITON; senso de arrumação. Significa colocar tudo em ordem, identificando as coisas por meio de nomes, rótulos, embalagens e arrumando em lugares de acordo com o nosso uso. O que for de uso cotidiano deve ficar mais a mão. SEISO; senso de limpeza. Significa limpar suas coisas após o uso e manter limpo o que já estava em ordem. SEIKETSU; senso de saúde e higiene. O local onde vivemos ou trabalhamos deve estar sempre favorável à saúde e à higiene, ser arejado e receber luz natural. Também devemos zelar pela nossa higiene pessoal e usar roupas limpas. SHITSUKE; senso de autodisciplina. Quer dizer reeducar nossas atitudes e transformar os 5 S em hábitos do nosso dia a dia.

URL: