Pedagogia da Autonomia

+19

No comments posted yet

Comments

Slide 1

Pedagogia da Autonomia Paulo Freire

Slide 2

Pedagogia da Autonomia Pedagogia – praticas de ensino Autonomia - Enfatiza a necessidade de respeito ao conhecimento que o aluno traz para a escola 28 exigências para ensinar

Slide 3

Não há docência sem discência Quem ensina aprende ao ensinar, quem aprende ensina ao aprender

Slide 4

1- Ensinar exige rigorosidade metodológica Objeto de ensino deve ser aprendido pela sua razão de ser Ensinar conteúdos é ensinar a pensar certo

Slide 5

2- Ensinar exige pesquisa Metodologia exige do professor uma busca pelo conhecimento – a pesquisas, através da curiosidade epistemológica Epistemológico: Do grego. epistéme, 'ciência'; 'conhecimento', + -o- + -logia.] S. f. 1. Conjunto de conhecimentos que têm por objeto o conhecimento científico

Slide 6

3- Ensinar exige respeito aos saberes dos educandos Aproveitar as experiências e conhecimento dos alunos

Slide 7

4- Ensinar exige criticidade Superação: curiosidade ao saber comum se criticizam Educador progressista: Desenvolve a curiosidade crítica , insatisfeita, indócil

Slide 8

5- Ensinar exige estética e ética Belo – padrão Ético – constitui-nos como seres histórico sociais

Slide 9

6- Ensinar exige a corporificação das palavras por exemplo Pensar certo é fazer certo (agir de acordo com o que se pensa) Palavras sem exemplo nada valem.

Slide 10

7- Ensinar exige risco, aceitação do novo, rejeição a qualquer forma de discriminação A indiferença ao diferente nega a democracia

Slide 11

8- Ensinar exige reflexão crítica sobre a prática Reflexão crítica deve ser concreta Pensar certo e fazer o certo

Slide 12

9- Ensinar exige o reconhecimento e a assunção da identidade cultural Identidade cultural, dimensão individual Visão de Processo

Slide 13

10- Ensinar não é transferir conhecimentos Criar possibilidades para a própria construção. Educador aberto a indagações curiosidades e inibições

Slide 14

11- Ensinar exige consciência do inacabamento Invensão Linguagem, cultura, comunicação em níveis complexos Entender o mundo Problematização do futuro

Slide 15

12- Ensinar exige o reconhecimento do ser condicionado Sujeito da história Curiosidade – conhecimento Conhecimento – não é expressão de verdade Ideal: experiências educativas se transformem em saberes e sabedorias por educandos e educadores

Slide 16

13- Ensinar exige respeito à autonomia do educando Coerência com o saber do outro Práticas coerentes

Slide 17

14- Ensinar exige bom senso Capacidade de indagar, comparar, duvidar e inferir Curiosidade, torna crítico o bom senso Avaliação dos fatos e acontecimentos que nos envolvemos

Slide 18

15- Ensinar exige humildade, tolerância e luta em defesa aos direitos dos educadores Conviver com o diferente Papel da ignorância em busca do saber Prática ética Tarefa política

Slide 19

16 - Ensinar exige apreensão da realidade Conhecer dimensões e a essência da minha prática Inconclusão do ser humano Aprender a subjetividade de um objeto Aprender é construir e reconstruir, constatar para mudar

Slide 20

PRÁTICA EDUCATIVA Existência de sujeitos: ensinando aprende e quem aprende ensina (princípio gnosiológico) Existência de objetos: conteúdos a serem ensinados e aprendidos Uso de métodos, técnicas e materiais Professores progressistas Educando artífice da sua construção Heteronomia para autonomia

Slide 21

17-Ensinar exige alegria e esperança Contradição ao óssio

Slide 22

18- Ensinar exige a convicção de que mudar é possível O amanhã não é algo pré-dado, ma um desafio. Saberes Convivência O mundo não é. Está sendo. “Mudar é difícil, mas é possível.”

Slide 23

19- Ensinar exige curiosidade Sem curiosidade não se aprende nem ensina. Estímulo a pergunta Reflexão crítica sobre a pergunta. Postura dialógica, aberta, curiosa, indagadora e não apassivada. Aula = desafio Saber fundamental: prática educativo-crítica Curiosidade espontânea para a curiosidade epistemológica Equilíbrio entre a autoridade e a liberdade.

Slide 24

20- Ensinar é uma especificidade humana Qualidade essencial Autoridade docente Liberdade dos alunos Segurança Ensinar exige segurança, competência profissional e generosidade Autoridade deve ser democrática Dependência Aprendizado de conteúdo é a construção da responsabilidade da liberdade que se assume

Slide 25

21- Ensinar exige comprometimento Desempenho Opção democrática, progressista X prática racionária, autoritária e elitista Ético: capacidade de analisar, decidir, optar, romper, fazer justiça e não falhar a verdade.

Slide 26

22- Ensinar exige compreender que a educação é uma forma de intervenção do mundo Intervenção: além dos conhecimentos dos conteúdos implica na reprodução de uma ideologia (formas de viver) Prática como definições, tomada de posições, rupturas – Ser democrático e imparcial

Slide 27

23- Ensinar exige liberdade e autoridade Limite Sem os limites a liberdade de perverte em licença e a autoridade em autoritarismo. Decisão: processo responsável Autonomia se constrói na experiência Pedagogia da autonomia esta centrada em experiências estimuladoras da decisão da responsabilidade, ou seja, no respeito a liberdade.

Slide 28

24- Ensinar exige tomada consciente de decisão Processo político pedagógico Educação: chave das mudanças

Slide 29

25- Ensinar exige saber escutar É escutando que aprendemos a falar Avaliação pedagógica de alunos e professores Seres democráticos Quem tem o que dizer, tem igualmente o direito e o dever de dizê-lo – não é a verdade. Ensinar não é transferir a inteligência do objeto ao educando, mas sim dar sentido ao objeto de forma que ele possa fazer ligações de significado a esse objeto.

Slide 30

26- Ensinar exige reconhecer que a educação é ideológica Ocultação da verdade dos fatos Linguagens que opacizam as idéias Enclausuram o ciclo das minhas verdades Deixar exposto as diferenças, recusa de posições dogmáticas

Slide 31

27- Ensinar exige disponibilidade para o diálogo Nível político, ético, estético da pedagogia. Respeito as diferenças – há a aprendizagem

Slide 32

28- Ensinar exige querer bem aos educandos Seriedade docente e afetividade – não pode confundir A afetividade não pode inferir no meu dever de professor, no exercício da autoridade. Prática educativa vivida com afetividade e alegria prescinde de formação séria e da clareza política do educador.

Slide 33

Paulo Freire acreditava na capacidade do aluno organizar sua própria aprendizagem. C@rminh@ Slids ♥♥♥

Summary: Paulo Freire e a Pedagogia da Autonomia

Tags: pedagogia autonomia pratica de ensino 28 exigências para ensinar

URL: