Cisnes Brancos

+1

No comments posted yet

Comments

Slide 1

Nome: Katlyn Wandy Silva Série:2º ano “B ” Orientadora: Idelci Gouvêa Couto Campo Verde - MT

Slide 2

Alphonsus de Guimarães

Slide 3

6 cisnes brancos, cisnes brancos, porque viestes, se era tão tarde? o sol não beija mais os flancos da montanha onde morre a tarde. o cisnes brancos, dolorida minh’alma sente dores novas. cheguei à terra prometida: É um deserto cheio de covas. voai para outras risonhas plagas, cisnes brancos! sede felizes... deixai-me só com as minhas chagas, e só com as minhas cicatrizes.

Slide 4

venham as aves agoureiras, de risada que esfria os ossos... minh’alma, cheia de caveiras, está branca de padre-nossos. queimando a carne como brasas, venham as tentações daninhas, que eu lhes porei, bem sob as asas, a alma cheia de ladainhas. o cisnes brancos, cisnes brancos, doce afago de alva plumagem! morre aos solavancos nesta medonha carruagem...

Slide 5

Slide 6

Poeta em que devoção e equilíbrio se dão as mãos desde o início, Alphonsus de Guimaraens foi mestre de um lirismo místico, em que busca e sublima a amada entre o luar e as sombras, o amor e a morte. Afonso Henriques da Costa Guimarães nasceu em Ouro Preto MG em 24 de julho de 1870. Estudou engenharia e direito. Apaixonou-se por sua prima Constança, que morreu logo depois. Em São Paulo, colaborou na imprensa e freqüentou a Vila Kyrial, de José de Freitas Vale, onde se reuniam os jovens simbolistas. Em 1895, no Rio de Janeiro, conheceu Cruz e Souza. Foi juiz e promotor em Conceição do Serro MG. De seus livros, os três primeiros foram publicados no mesmo ano (1899): Dona mística, Câmara ardente e o Centenário das dores de Nossa Senhora. Foi escrito antes, no entanto, o Kyriale (1902), sua coletânea mais representativa. Seguiram-se Pauvre lyre e Pastoral aos crentes do amor e da morte (1923).

Slide 7

Um dos principais representantes do movimento simbolista no Brasil, sua obra, de influência francesa (Verlaine, Mallarmé -- que traduziu), adquire com freqüência acentos arcaizantes e de envolvente conteúdo lírico, uma vez que o exprime num misticismo enraizado no fundo da subjetividade e, desse modo, como uma compulsão do inconsciente. Em ritmo elegíaco e de solene musicalidade, multiplica a imagem da amada: são "Sete damas", são "As onze mil virgens", Ester, Celeste, Nossa Senhora (com quem identifica Constança), ou a célebre "Ismália". Oscila, assim, entre os indícios materiais da morte e a expectativa do sobrenatural, como se toda a sua poesia se fizesse em variações de um mesmo réquiem. Mas a evolução da linguagem é permanente e a tendência a um barroco discreto -- de Ouro Preto, Mariana -- se flexibiliza, se inova com acentos verlainianos, mallarmaicos, de que brotam imagens muitas vezes ousadas, não longe da invenção surrealista. Alphonsus de Guimaraens morreu em Mariana MG em 15 de julho de 1921.

Slide 8

Interpretação O poema fala de 6 Cisnes Brancos que busca sua felicidade passeando pelas montanhas. Quando eles passeavam eles se sentiam mais leves e só assim se sentiam mais felizes sem sua alma dolorida, sem cicatrizes .... E assim dava vontade ate de voar sem nenhum peso nas costa.

URL: