Espécies autóctones exóticas e invasoras Serra Lousã

+10

No comments posted yet

Comments

Slide 1

Espécies autóctones, exóticas e invasoras da Serra da Lousã

Slide 2

O que é uma espécie autóctone? Uma espécie autóctone é uma espécie que é natural do ambiente onde vive.

Slide 3

Javalis na Serra da Lousã Javali Nome cientifico – Sus scrofa L. Nome vulgar - javali Classificação – autóctone Porque é que existe hoje na Serra da Lousã? Os javalis gostam muito de viver em zonas com bastante vegetação, como a Serra da Lousã. Por isso vivem e reproduzem-se lá há séculos.

Slide 4

Veados na Serra da Lousã Veado Nome cientifico - Cervus elaphus Nome vulgar - veado Classificação – autóctone (reintroduzido) Porque é que existe hoje na Serra da Lousã? Apesar de ser autóctone, o veado é uma espécie reintroduzida pelos biólogos na década de 90, pois esteve desaparecido desta zona durante muitos anos. Entretanto, os exemplares introduzidos reproduziram-se e, não tendo predadores, a população cresceu. Para controlar a população abriu-se a caça ao veado.

Slide 5

Coelhos na Serra da Lousã Coelho Nome cientifico - Oryctolagus cuniculus Nome vulgar - coelho-comum Classificação – autóctone Porque é que existe hoje na Serra da Lousã? Na Serra da Lousã, existe alimento em abundância para o coelho se poder alimentar, e existe vegetação para o coelho se esconder. Por isso o coelho vive e reproduz-se lá há séculos.

Slide 6

Carvalhos na Serra da Lousã Carvalho-português Nome cientifico - Quercus faginea Nome vulgar - carvalho-português, carvalho-cerquinho ou cerquinho Classificação – autóctone Porque é que existem hoje na Serra da Lousã? Actualmente, os carvalhos existem com mais frequência em zonas isoladas, como na Serra da Lousã, pois em muitas zonas do território, à medida que foram desaparecendo por abate ou por incêndio, foram substituídas por espécies de crescimento mais rápido como o pinheiro-bravo e, mais recentemente, o eucalipto.

Slide 7

Azinheiras na Serra da Lousã Azinheira Nome cientifico - Quercus faginea Nome vulgar - azinheira Classificação – autóctone

Slide 8

Mochos galegos na Serra da Lousã Mocho-galego Nome cientifico - Athene noctua Nome vulgar – mocho galego Classificação - autóctone Porque é que existe hoje na Serra da Lousã? Esta espécie prefere zonas de planície e vegetação baixa, mas vive e reproduz-se na Serra da Lousã há séculos.

Slide 9

Salamandras lusitânicas na Serra da Lousã Salamandra-lusitânica Nome cientifico - Chioglossa lusitanica Nome vulgar - salamandra-lusitânica ou saramantiga Classificação - autóctone Porque é que existe hoje na Serra da Lousã? Esta espécie prefere regiões com menos de 1500m de altitude. A Serra da Lousã vai até aos 1205m, pelo que a salamandra-lusitânica habita nesta mesma serra, reproduzindo-se lá desde há séculos.

Slide 10

Nome científico - Rattus norvegicus Nome vulgar – ratazana Classificação - autóctone  Nome científico - Columba livia Nome vulgar - pombo-correio Classificação - autóctone Nome científico – Erinaceus europaeus Nome vulgar - ouriço-cacheiro Classificação - autóctone Nome científico - Vulpes vulpes Nome vulgar – raposa Classificação - autóctone

Slide 11

Nome científico – Genetta genetta Nome vulgar - gato-toirão Classificação - autóctone Nome científico – Meles meles Nome vulgar – texugo Classificação - autóctone Nome científico - Pelophylax perezi Nome vulgar - rã-verde Classificação - autóctone Nome científico – Capreolus capreolus Nome vulgar - corço Classificação – autóctone (reintoduzido)

Slide 12

Nome científico - Sciurus vulgaris Nome vulgar - esquilo-vermelho Classificação - autóctone   Nome científico – Castanea sativa Nome vulgar – castanheiro Classificação - autóctone   Nome científico – Quercus suber Nome vulgar – sobreiro Classificação - autóctone   Nome científico – Canis lupus Nome vulgar – lobo Classificação - autóctone   (nos últimos tempos não tem sido avistado)

Slide 13

Nome científico – Prunus lusitanica Nome vulgar – azereiro Classificação - autóctone   Nome científico – Ilex aquifolium Nome vulgar – azevinho Classificação - autóctone   Nome científico – Taxus baccata Nome vulgar – teixo Classificação - autóctone   Nome científico – Laurus azorica Nome vulgar – loureiro Classificação - autóctone  

Slide 14

Pinheiro-bravo na Serra da Lousã Pinheiro-bravo Nome científico - Pinus pinaster Nome vulgar - pinheiro-bravo Classificação – autóctone ? Porque é que existe hoje na Serra da Lousã? Esta espécie gosta de humidade atmosférica, e a Serra da Lousã é relativamente húmida, por isso aqui vive e se reproduz desde há muito tempo. No entanto, esta espécie pode ter sido introduzida pelo Homem, que aumentou a sua área de distribuição, a partir dos séculos XII e XIII sobretudo para conter as dunas litorais, e a partir do final do século XIX (principalmente a partir da década de 40 do século XX) expandindo-o para regiões serranas do interior do país.

Slide 15

Pinheiro-silvestre na Serra da Lousã Pinheiro-silvestre Nome científico - Pinus sylvestris Nome vulgar – pinheiro-silvestre Classificação – autóctone ? Há quem diga que o pinheiro-silvestre é autóctone apenas na Serra do Gerês, tendo sido introduzido pelo Homem noutros locais do país.

Slide 16

O que é uma espécie exótica? Uma espécie exótica é uma espécie introduzida pelo Homem num habitat onde não existia antes.

Slide 17

Nome científico – Prunus avium Nome vulgar – cerejeira Classificação - exótica  Nome científico – Juglans regia Nome vulgar – nogueira Classificação - exótica   Nome científico – Cupressus lusitanica Nome vulgar – cedro-do-Buçaco Classificação - exótica  

Slide 18

Nome científico – Abies pinsapo Nome vulgar – abeto-espanhol Classificação - exótica   Nome científico - Pinus thunbergii Nome vulgar – pinheiro-negro Classificação - exótica   Nome científico - Cedrus atlantica Nome vulgar – cedro-do-Atlas Classificação - exótica  

Slide 19

O que é uma espécie invasora? Uma espécie invasora é uma espécie exótica de crescimento populacional exponencial, principalmente devido à ausência dos seus predadores naturais no novo habitat.

Slide 20

Acácias na Serra da Lousã Mimosa Nome científico – Acacia dealbata Nome vulgar - mimosa Classificação – invasora

Slide 21

Acácias na Serra da Lousã Acácia Nome científico - Acacia cyanophylla Nome vulgar - acácia Classificação - invasora Acácia-da-Austrália Nome científico - Acacia melanoxylon Nome vulgar – acácia-da-Austrália Classificação - invasora

Slide 22

Eucalipto na Serra da Lousã Eucalipto Nome científico - Eucalyptus globulus Nome vulgar - eucalipto Classificação – invasora

Slide 23

Canas na Serra da Lousã Canas Nome científico – Arundo donax Nome vulgar - canas Classificação – invasora

Slide 24

Baseado na pesquisa efectuada pelos alunos do 8ºC: Jacinta Francisco Margarida Marta Laura Duarte Rodrigo Ferreira Débora Matias Sara Ramos

Summary: Trabalho do 8ºC no âmbito das CN.

Tags: especies autóctones miranda do corvo eco-escolas ciencias naturais

URL: