ARROIO CAPIVARA BAIRRO IPANEMA PORTO ALEGRE

+3

No comments posted yet

Comments

Slide 1

ARROIO CAPIVARA BAIRRO IPANEMA PORTO ALEGRE Um problema crônico, sem interesse em solucionar, uma irresponsabilidade Pública

Slide 2

Bairro Ipanema O bairro Ipanema foi criado por lei que data de 1959. As origens do bairro remontam ao início da década de 1930, quando o Ipanema não passava de uma grande zona rural de Porto Alegre Neste bairro se localiza o Arroio Capivara

Slide 3

O bairro era caracterizado por ser uma zona de cultivo de arroz, milho, aipim e frutas, além da presença de gado leiteiro. Toda essa produção era obtida através da irrigação que o Arroio Capivara proporcionava à região.

Slide 4

No entanto, ao final da década de 60, a região perde sua balneabilidade devido aos progressivos problemas de poluição que começavam a criar dificuldades em Porto Alegre, e com isto o Ipanema ficou esquecido pelas autoridades durante a década de 1970 e início da de 1980 Com isso, reclamações da população envolvendo o Arroio Capivara, como constantes alagamentos e mau cheiro foram deixadas de lado.

Slide 5

Embora muitos projetos tenham sido postos em discussão nenhum foi executado até hoje. Algumas intervenções pontuais no arroio Capivara foram feitas nos anos 80. Os problemas persistem

Slide 6

Fotos da inundação de 06/2010 26/06/2010

Slide 7

26/06/2010

Slide 8

IMPORTANTE É IMPORTANTE QUE SE FRIZE O DESCASO DAS ADMINISTRAÇÕES MUNICIPAIS PARA OS PROBLEMAS DE MORADIA, SANEAMENTO, ABASTECIMENTO DE ÁGUA E PRINCIPALMENTE DA DRENAGEM URBANA.

Slide 9

DESCASO Embora há muito tempo venha ocorrendo inundações neste Bairro, as Autoridades municipais só fazem paliativos como pequena dragagem. Dragagem insuficiente para resolver o problema.

Slide 10

Para resolver o problema, permitindo uma dragagem rápida e eficiente, deveriam remover as casas junto ao Arroio. As casas localizadas junto ao Arroio demonstram a falta de Planejamento e de atuação dos Prefeitos

Slide 11

DADOS CARACTERÍSTICOS DA BACIA HIDROGRÁFICA Área: 11,45 Km² = 1.145 hectares Comprimento do curso principal: 5,08 km Comprimento até C.G. pelo curso principal: 2,5 km Relação entre área verde e ocupada: 0,40 Cota do terreno mais elevado: 90 m Cota na saída da bacia: 2,0 m Coeficiente DNOS = 4,5 Coeficiente escoamento superficial: 60 Vazão calculada: 2,5 m³/s (Valor calculado c/ dados a cima)

Slide 12

Dados do Canal Considerando uma declividade de 0,0003 m/m* O Canal junto a saída com 6,00 m* por: 80 cm de altura a vazão Q = 2,20 m³/s. 100 cm de altura a vazão Q = 3,10 m³/s. 120 cm de altura a vazão Q = 5,60 m³/s. Logo o canal para a situação atual, desde que bem limpo funciona bem no limite. Quando de uma urbanização mais acentuada o canal existente * á verificar “in loco”

Slide 13

Se a declividade adotada de 0,0003 m/m for menor, haverá uma redução na vazão.

Slide 14

A BACIA HIDROGRÁFICA DO ARROIO CAPIVARA

Slide 15

DESCRIÇÃO A bacia hidrográfica do arroio Capivara apresenta , próximo às nascentes, uma ocupação menos densa com características suburbanas ou semi-rurais (CP1), enquanto que na sua porção mais próxima à foz, o uso do solo para fins urbanos é mais intenso (CP2).

Slide 16

A área de drenagem contribuinte na bacia hidrográfica do arroio Capivara (CP1 e CP2) apresentam padrões de uso do solo compatíveis com a ocupação urbana, com densidades populacionais variantes entre 7,6 e 73 hab/ha (baixa a média) e baixo atendimento da população sob o ponto de vista da infra-estrutura sanitária de coleta e tratamento de resíduos domésticos. Esta deficiência impõe à população o uso de tecnologias de disposição local de esgotos sanitários e resíduos sólidos que interferem, direta ou indiretamente, na qualidade das águas.

Slide 17

LOCALIZAÇÃO Divisa municipal Rio Gravataí Bacia do Arroio Capivara

Slide 18

Visão da Bacia Hidrográfica, ou seja da contribuição da chuva para o ponto de saída ao Guaíba.

Slide 39

Como vemos o crescimento desordenado dentro da bacia hidrográfica do Arroio Capivara é uma realidade. Deveriam pelo menos orientar as construções no sentido de não agravar a drenagem e facilitar o acesso para limpeza. Vemos o desprezo municipal pelas Leis ambientais e pelo próprio código de postura do Município

Slide 40

CADA CHUVA QUE FAZ O ARROIO TRANSBORDAR DISSEMINA DOENÇAS DOS MAIS VARIÁDOS TIPOS É ATITUDE CRIMINOSA TANTO DO PREFEITO QUANTO DOS EXECUTORES DE OBRAS NA BACIA.

Slide 41

O Prefeito Fortunati pretende utilizar o Arroio para desaguar nele os detritos do Loteamento ALPHAVILLE VILA NOVA

Slide 43

henriquecpw@gmail.com “Quanto mais vivo mais encontro gananciosos que nada vêm, nada escutam, mas para terem seus bolsos cheios, tudo vale. Só não sei com que coragem olham para seus filhos e netos”

Summary: Um arroio de Porto Alegre transmissor de doenças hídrica

Tags: wittler

URL:
More by this User
Most Viewed