História do Brasil e do Mundo - Final do séc XIX e inicio do XX

-3

No comments posted yet

Comments

Slide 1

Secretaria Municipal de Educação Coordenadoria de Educação H9 PROFESSOR 2012 1º BIMESTRE 1

Slide 2

EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO MARIA DE NAZARETH MACHADO DE BARROS VASCONCELLOS COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO MARIA DE FÁTIMA CUNHA SANDRA MARIA DE SOUZA MATEUS COORDENADORIA TÉCNICA ILKA VALERIA OLIVEIRA DOS SANTOS COORDENAÇÃO JOSÉ SILVEIRA TERESA CRISTINA SILVA ELABORAÇÃO JAIME PACHECO LEILA CUNHA DE OLIVEIRA SIMONE CARDOZO VITAL DA SILVA REVISÃO CARLA DA ROCHA FARIA LETICIA CARVALHO MONTEIRO MARIA PAULA SANTOS DE OLIVEIRA DIAGRAMAÇÃO BEATRIZ ALVES DOS SANTOS MARIA DE FÁTIMA CUNHA DESIGN GRÁFICO 2

Slide 3

Prezado/a Professor/a, Este material foi estruturado com o objetivo de auxiliá-lo em suas atividades pedagógicas. Constitui-se em suporte à elaboração de suas aulas. Para que fosse possível dar concretude a essa empreitada, contamos com a participação efetiva de professores regentes da Rede e da equipe da E/SUBE/CED, sob a supervisão de professores doutores da UFRJ, UERJ e PUC. No entanto, para que esse trabalho tenha legitimidade e êxito, torna-se imprescindível a sua avaliação criteriosa, já que é você, PROFESSOR/A, que o estará utilizando no cotidiano da sala de aula. Fale conosco, envie críticas e sugestões, para que seja possível o aprimoramento de nosso fazer pedagógico. Somente desta forma poderemos atendê-lo nas suas reais necessidades. Colocamo-nos à sua inteira disposição por meio do Fala Professor e dos seguintes e-mails institucionais: historia@rioeduca.net nazareth@rioeduca.net mariamcunha@rioeduca.net sandramateus@rioeduca.net leilaoliveira005@rioeduca.net simonesilva019@rioeduca.net anaveneno@rioeduca.net leticialmonteiro@rioeduca.net carlacfaria@rioeduca.net Seguem os telefones para contato: 2976.2301 / 2976.2313 / 2976.2325 / 2976.2182 / 2976.2287 Informamos, ainda, o endereço da E/SUBE/CED: Rua Afonso Cavalcanti, nº 455, 4º andar, salas 412, 435 e 461. Estamos convictos de que, somente por meio da interlocução diária e permanente, será possível superar/minimizar os desafios da educação pública da cidade do Rio de Janeiro. Respeitosamente, Professores Regentes e Equipe da E/SUBE/CED 3

Slide 4

4

Slide 5

5 Introdução: Olá! Querido(a) aluno(a), Você está iniciando o 9º. Ano. É um momento decisivo, de mudanças. Seu último ano no Ensino Fundamental e passagem para o Ensino Médio. Alguns já pensam em direcionar sua vida profissional fazendo concursos para escolas técnicas. Em relação a matéria de História, vamos também estudar momentos de muitas mudanças. Os séculos XIX e XX foram períodos turbulentos. Veremos como os territórios do continente africano e parte da Ásia foram disputados por países europeus. Esta disputa esteve presente na Primeira Grande Guerra. Os períodos do Entre Guerras e da Segunda Guerra Mundial trouxeram uma nova configuração ao mundo. O Brasil também foi palco de grandes mudanças. Passamos de um governo imperial para a implantação de um Estado republicano, atravessamos governos totalitários e buscamos o restabelecimento da democracia. E tudo isso, não por acaso, numa rapidez impressionante! Vamos juntos por essa “viagem”! Vai valer a pena!

Slide 6

6 1. Observe e descreva a ilustração1 ...........Pessoal............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... 2. O personagem da ilustração 1 é o mesmo da fotografia ao lado? .......................Sim........................................................ 3. Quem o desenhista quis representar na ilustração 1? O que o personagem desenhado está fazendo? ............................................................................... ................................................................................... 4. Na ilustração 1 aparecem vários jornais.Qual o nome do jornal que se encontra nas pernas da personagem desenhado (atenção, a grafia é antiga). ............................................................................... O que será que o desenhista quis representar com essa ilustração? Você sabe o nome desse tipo de ilustração? Esse tipo de ilustração chama-se charge. Que tal Conhecer um pouco mais sobre essa expressão artística? http://www.aconteceempetropolis.com.br Ilustração 1 Para início de conversa ... D. Pedro II, 1887 O Imperador D. Pedro II O Paíz http://www.opapeldaarte.com.br/ Acesso em 09/11/2011 Acesso em 09/11/2011

Slide 7

7 O GÊNERO TEXTUAL: CHARGE Charge é um texto visual e humorístico que faz crítica a uma personagem, fato ou acontecimento político específico, possui limitação temporal, tem curto prazo de validade. Portanto, para você entender a charge é necessário ter informações sobre os acontecimentos que levaram o artista a produzir aquele desenho. Fonte:http://fabricarica.2it.com.br SAIBA MAIS: http://www.acharge.com.br/index.htm http://www.cartunista.com.br/ http://ziraldo.blogtv.uol.com.br/achargenotempo Tente reescrever a legenda da ilustração para o português atual: O rei nosso senhor e amo, dorme o sono da indiferença. Os jornais que diariamente trazem os desmando dessa situação parecem produzir em Sua Majestade um efeito narcótico. Bem aventurado senhor, para vós o rei do céu e pra o nosso povo o do inferno ........................................................................................................................................................................................... ............................................................................................................................................................................................ ........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................ http://www.opapeldaarte.com.br/

Slide 8

8 A imprensa foi um dos mais poderosos meios de crítica ao regime imperial. Nela se sobressaíram caricaturistas com Angelo Agostini e sua Revista Ilustrada. O humor presente nas charges e caricaturas publicadas em jornais e revistas tinha grande impacto social e político, já que gerava protestos e apoios, em resumo, formava opinião pública. As charges e caricaturas são uma linguagem de fácil comunicação para o público. Não se pode negar que a charge em destaque que mostra D Pedro II sendo derrubado do trono produza um efeito mais direto do que mil palavras contra o governo imperial. A força da imagem Dom Pedro II e a monarquia desequilibrados, Ângelo Agostini, charge extraída da Revista Illustrada, 21 de janeiro de 1882. Que tal conhecer mais sobre Angelo Agostini, importante desenhista e caricaturista que viveu no Brasil no final do século XIX e início do XX? Faça um levantamento sobre sua biografia, as revistas que ele publicou, os personagens que ele criou, as causas que ele defendeu ou combateu utilizando o desenho como forma de expressão. Acho que você poderá descobrir muita coisa interessante. Para ajudá-lo na pesquisa você pode visitar alguns sites citados abaixo: http://www.itaucultural.org.br Enciclopédia Itaú Cultural – Artes Visuais http://www.unicamp.br/cecult/resenhas_vh/resenha_poetadolapis http://www.bigorna.net/index.secao=biografias http://www.brasilescola.com http://1.bp.blogspot.com Acesso em 09/11/2011

Slide 9

9 Agora é sua vez: Pesquise em jornais e revista e cole no espaço ao lado uma charge. Escreva o nome do autor, a data da publicação, onde você pesquisou e o que o desenhista quis criticar. Boa pesquisa! A Proclamação da República no Brasil A partir de 1870, com o fim da Guerra do Paraguai, o governo de D. Pedro II passou a enfrentar uma série de crises, tanto com o Exército, quanto com a Igreja Católica, que viriam abalar as estruturas do Império. Somaram-se a esses fatos as transformações que andavam ocorrendo na sociedade brasileira, tais como, o fim da escravidão e as exigências dos grandes cafeicultores em aumentar sua participação na política do país. As idéias de república no Império Apesar do projeto de instituição de uma república estar presente desde 1822, o tema ganharia novo impulso na década de 1870.com a criação do Partido Republicano e a divulgação do Manifesto Republicano . O documento atacava as instituições políticas do Império, o poder do Imperador e o Senado . Apesar de presente em quase todas as províncias do Brasil, o movimento republicano era muito heterogêneo. No Rio de Janeiro, por exemplo, eram em setores da classe média que o movimento era mais representativo e lutava em defesa das liberdades e direitos individuais e da libertação dos escravos. Já em São Paulo, a campanha republicana reunia em sua maioria, cafeicultores, para os quais a instauração da república significava colocar o governo a serviço de seus interesses. As diferentes idéias de República A palavra república possuía significados diferentes na primeira metade do século XIX. República era compreendida como a precedência do bem comum e a prevalência da lei e da Constituição sobre os interesses individuais. o conceito de republica estava também associado a um governo eleito e temporário. Ou como na Europa da época, a noção de república estaria identificada a um território regido pelas mesmas leis ou submetido ao mesmo governante. As crises do Império

Slide 10

10 . Os conflitos entre os militares e a Monarquia se agravaram mais após a Guerra do Paraguai. Muitos militares defendiam que o exército deveria ocupar papel de maior destaque na sociedade brasileira. O exército, que conquistara prestígio por parte da população passou a ocupar papel destacado nos debates sobre os movimentos abolicionista e republicano, o que provocou punições por parte do governo aos oficiais envolvidos. Isto aumentou a insatisfação dos militares quanto ao governo imperial. A insatisfação com o governo imperial tornou-se campo fértil para a entrada de idéias republicanas entre a jovem oficialidade, que, a partir daí, começou a exigir, abertamente, mudanças no país. Os militares A Igreja Católica Durante ao Império a Igreja Católica era unida ao Estado. O governo podia por exemplo, indicar os sacerdotes para cargos da Igreja, como também efetuava o pagamento do clero. Em 1870, o papa Pio IX decidiu tomar uma série de medidas contra a maçonaria. Como boa parte do governo fazia parte da maçonaria, o imperador D. Pedro II não reconhecer a s ordens do papa. A a partir dessa decisão, muitos e sérios problemas foram criados entre o governo e a Igreja, como o fim do apoio das religiosos à Monarquia e ao imperador Pedro II. O Movimento Abolicionista e os Fazendeiros Desde o início do século XIX, a escravidão se apresentava como um regime de trabalho contrário a determinados interesses dentro e fora do nosso país. Havia a pressão de intelectuais, de fazendeiros de café paulistas e até mesmo de setores do Exército. Temendo falta de mão de obra e uma queda brusca na produção agrícola, grupos de fazendeiros, conseguiram, junto ao Senado e à Câmara, um acordo: realizariam a abolição dos escravos, substituindo o regime de trabalho, sem provocar uma grande perda em termos econômicos e sem prejuízo para a produção. Diferentes leis foram criadas com o objetivo de realizar essa transição de forma lenta e gradual. O Movimento Abolicionista estava aliado ao Movimento Republicano. porque muitos defensores do regime republicano viam a escravidão como uma das “velhas” estruturas do Império a serem substituídas. Desta forma, já em meados do século XIX, muitos fazendeiros, diante das novas leis, resolveram libertar seus escravos, propondo-lhes que ficassem no trabalho da lavoura até o fim da transição. Como a situação já começava a sair do controle, a Princesa Isabel assinou, no dia 13 de maio de 1888, a Lei Áurea, que pôs fim à escravidão no Brasil.

Slide 11

11 http://www.mc.unicamp.br/15/10/2011 Emancipação Pessoal Uma figura como um anjo Que o movimento de libertação dos escravos estava se espalhando Dois homens um branco com chapeu aberto e segurando a cabeça de outro que parede ser negro Emancipação a) A capa da "Revista Ilustrada" do ano de 1880 apresenta a ilustração de Ângelo Agostini intitulada "Emancipação uma nuvem que não pára de crescer". esquise no dicionário o significado da palavra “emancipação”. ...................................................................................................................... b) Que elemento na ilustração representaria a “emancipação”? ........................................................................................................ c) O que o autor da charge quis dizer que "nuvem da emancipação” não parava de crescer? .................................................................................................................. d) Quem são os personagens que aparecem na charge? O que eles estão fazendo? ............................................................................................................... .................................................................................................................

Slide 12

12 Ao contrário do que diziam os escravistas, o fim do trabalho escravo não trouxe qualquer crise à economia brasileira. Na verdade, a crise já existia, mas somente em setores decadentes como os engenhos do nordeste brasileiro e a lavoura do Vale do Paraíba, por exemplo. Os cafeicultores do Oeste Paulista já vinham se adaptando às mudanças econômicas ocorrida recentemente no Brasil e, por isso, estavam há algum tempo deixando de utilizar mão-de-obra escravizada, dando lugar ao trabalhador assalariado brasileiro e imigrante. Para os recém-libertos, a Abolição não trouxe os benefícios esperados. Eles não receberam terra para plantar e nenhum tipo de ajuda do governo: parte deles negociou sua permanência na fazenda em troca de modestos salários. Muitos, porém foram para as cidades, em busca de emprego. Os empresários, porém, preferiam dar emprego aos imigrantes europeus. Diante disso, os libertos foram obrigados a aceitar os piores serviços, os mais baixos salários e conviver com um racismo silencioso, violento e sempre presente. Para você refletir . Teria sido realmente necessária a escravidão? Que herança ela nos deixou? E a população negra e mestiça, conseguiu obter uma verdadeira liberdade? A República é proclamada! O Partido Republicano, percebendo o momento de crises que passava o Império, passou a divulgar suas idéias em jornais e revistas, defendendo a implantação imediata de uma República. A partir daí, foram criados clubes republicanos em todo o país. No dia 15 de novembro de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca, ocupou o quartel general e o Ministério da Guerra, acompanhado de 600 homens. Nesse momento, o Ministério foi deposto e a República foui proclamada na Câmara municipal no Rio de Janeiro. D. Pedro II não tendo organizar a resistência, resolveu partir, dois dias depois, com toda a família, para o exílio na França, de onde jamais retornou ao Brasil.

Slide 13

13 Olá! Sou o Marechal Deodoro da Fonseca. Fui o primeiro presidente da República no Brasil. Como você já viu, havia um desgaste do governo imperial, monárquico. Muitos militares defendiam a ideia de que a “melhor saída” para o país seria a substituição do regime monárquico pelo regime republicano. No dia 15 de novembro, marchamos até o Ministério da Guerra e obtivemos a renúncia do primeiro-ministro, o Visconde de Ouro Preto. Daí, seguimos para a Câmara Municipal, onde proclamamos o novo regime. Dois dias depois, D. Pedro II seguiu para a Europa com sua família. Proclamada a República, teve início um governo provisório até o início do ano de 1891, quando assumi o cargo de Presidente, após a promulgação da primeira Constituição da República no Brasil http://www.conexaoaluno.rj.gov.br/ . A Proclamação da República brasileira teve um fato interessante que merece ser abordado: a falta de participação popular. A população não foi consultada pelos republicanos e, muito menos convidada a participar do movimento. Aliás, foi o Exército quem praticamente controlou todo o movimento sem informar ao povo suas intenções. Mais uma vez, o povo foi deixado à margem do processo. Como bem analisou o cientista político e historiador José Murilo de Carvalho – o povo assistiu bestializado à proclamação. http://educarbrasil.org.br Detalhe do quadro “A Proclamação da República”, por Benedito Calixto., 1893 Cadê o povo? Acesso em 01/11/2011 Acesso em 01/11/2011

Slide 14

14 . Agora, imagine que você é um jornalista e vive no Brasil de 1889. Escreva uma notícia de jornal relatando os acontecimentos do dia15 de novembro. Resposta Pessoal Foi criada uma nova bandeira nacional, em 19 de novembro, com o lema positivista, "ordem e progresso", embora o lema por inteiro dos positivistas fosse 'O amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim'. Foram mantidas as cores verde e amarela da bandeira imperial, pois, o decreto nº 4 que criou a bandeira republicana. Primeira Bandeira Republicana, criada por Ruy Barbosa, usada entre 15 e 19 de novembro de 1889. Capa da Revista de História da Biblioteca Nacional, nº 51 A revista aborda em vários artigos os assuntos que estamos estudando nesse bimestre. Veja alguns títulos: Café com política, Onde está povo?, A República antes da República, Política dos Governadores, entre outros. Vale a pena você ler e aprofundar seus conhecimentos! Converse com seu professor de História sobre a revista, procure na Sala de Leitura de sua escola e conheça essa interessante publicação da Biblioteca Nacional. http://pt.wikipedia.org/wiki/Bandeira_do_Brasil http://pt.wikipedia.org/wiki/Bandeira_do_Brasil Acesso em 05/11/2011 Acesso em 28/10/2011

Slide 15

15 A PRIMEIRA CONSTITUIÇÃO REPUBLICANA O que é uma Constituição? Em primeiro lugar, queremos lembrar que Constituição é um conjunto de leis que estabelecem os direitos e deveres dos cidadãos. Tipos de Constituição Uma Constituição pode ser promulgada ou outorgada. Uma Constituição promulgada é aquela que resulta das discussões de toda a sociedade, seja através de entidades de representação de determinados setores, seja pelo trabalho da Assembléia Constituinte, que também representa a sociedade através dos deputados. Outorgada é a Constituição imposta pelo Estado. Toda a sociedade é obrigada a cumprir suas determinações. Ao pensarmos em uma CONSTITUIÇÃO promulgada, ela parece contemplar as necessidades de toda a sociedade, não é mesmo? Nossa primeira constituição republicana apresentou muitos limites. Ela, na verdade, não representava os anseios de toda a sociedade, mas apenas de parte dela A Primeira Constituição da República . Capa da Constituição de 1891 A primeira constituição da república brasileira foi elaborada por uma Assembléia Constituinte formada em sua maioria por representantes de senhores de terras e de militares. Foi promulgada em fevereiro de 1891.

Slide 16

16 A Constituição de 1891 estabelecia: eleições diretas para os cargos do Poder Legislativo e do Poder Executivo. O voto era direito dos cidadãos maiores de 21 anos, do sexo masculino, alfabetizados. Logo, era somente para uma pequena parcela da população brasileira. divisão dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário O país tornou-se uma República Federativa, os Estados Unidos do Brasil sistema presidencialista com mandato de 4 anos sem direito à reeleição As antigas províncias passaram à condição de estado e ganharam autonomia para promulgar sua própria constituição, fazer empréstimos no exterior e eleger seu governador (na época , chamado de Presidente). Assim, a Constituição criava a descentralização do poder, permitindo que os governantes dos estados tivessem autonomia suficiente para legislar de acordo com seus interesses. http://www.brasilescola.com “Juramento constitucional” Óleo de Aurélio Figueiredo:Museu da República, Rio de Janeiro, 1891 O que a Constituição tem a ver comigo? Procure conhecer a constituição brasileira atual. Para isso, vá à sala de leitura e/ou pesquise no laboratório de informática um artigo que você considere interessante e faça uma comentário. Apresente depois para a turma. Combine com seu/sua professor/a. Sugestão de sites: www.planalto.gov.br/constituição www.senado.gov.br/legislacão/constituição www.suapesquisa.com/oqueeconstituição Acesso em 28/10/2011

Slide 17

17 Registrando o que você aprendeu: Complete os espaços com informações retiradas do texto: Constituição é Uma constituição pode ser do tipo ou Uma constituição é imposta pelo Estado. Todos são obrigados a cumprir mas a sociedade pouco ou nada participa na sua elaboração. A constituição que é estabelecida após discussões pela sociedade ou por seus representantes eleitos numa assembléia constituinte, é chamada . 2. Escreva quatro características da Constituição promulgada em 1891: 1.............................................................................................................................................................................................. 2. ............................................................................................................................................................................................ 3. ............................................................................................................................................................................................ 4. ............................................................................................................................................................................................ Pesquisando na rede... Nome dado ao conjunto de leis que estabelecem os direitos e deveres dos cidadãos. Outorgada Promulgada Outorgada Promulgada Eleições diretas para os cargos do Poder Legislativo e do Poder Executivo. O voto era direito dos cidadãos maiores de 21 anos, do sexo masculino Divisão dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário Sistema presidencialista com mandato de 4 anos sem direito à reeleição A Constituição Federal que está em vigor no país foi promulgada em 1988, mas muitos brasileiros ainda não sabem exatamente o que ela lhes garante. E você? Que tal responder a perguntas sobre a lei máxima do país e conhecer alguns direitos e deveres de todo cidadão brasileiro. Visite o site o site da revista Ciência Hoje no endereço eletrônico: http://chc.cienciahoje.uol.com.br/jogos/lei-em-jogo e participe do jogo A Lei está em Jogo e teste seus conhecimentos. Acesso em 28/10/2011

Slide 18

18 A CONSTRUÇÃO DA REPÚBLICA NO BRASIL A Republica da Espada, referência feita pelo predomínio de militares no poder Coordenadoria de Educação HISTÓRIA - 9ª Ano 1º BIMESTRE / 2011 http://www.google.com.br/images A República construída em nosso país atendia a determinados interesses. O primeiro período de nossa história republicana foi marcado pela presença dos militares. Da proclamação da República até 1894, tivemos dois presidentes militares. Como você viu nas páginas anteriores, foi o Marechal Deodoro da Fonseca o primeiro presidente e o segundo, o Marechal Floriano Peixoto. Este período foi chamado de República da Espada.. 17 Apesar de ter eleito Deodoro, a maioria do Congresso, não apoiava o presidente, nem seu ministério. Os deputados temiam que Deodoro assumisse atitudes ditatoriais e, para evitar que isso ocorresse, apresentaram um projeto de lei propondo a redução dos poderes do presidente. Apesar de não ter esse direito, Deodoro dissolveu o Congresso, o que significava um golpe de Estado. A reação dos opositores foi imediata.A Marinha tomou posição, ameaçando bombardear o Rio de janeiro, se Deodoro continuasse no poder, na chamada Revolta da Armada. Diante disse, o Marechal resolveu renunciar, transmitindo o cargo ao vice-presidente Floriano Peixoto.. AS FARDAS COMANDAM A REPÚBLICA

Slide 19

19 O segundo presidente da República da Espada, Marechal Floriano Peixoto, já assumiu o poder numa atmosfera de discórdia. A Constituição previa que, se houvesse a vaga no mandato em menos de dois anos, deveriam ser realizadas novas eleições. O Marechal Floriano não respeitou esta determinação, o que gerou novas revoltas: a Segunda Revolta da Armada. a Revolução Federalista – que se estendeu até o ano de 1895. A Segunda Revolta da Armada teve início com uma agitação liderada por alguns militares, que enviaram uma carta ao presidente Floriano Peixoto ordenando-lhe que convocasse imediatamente novas eleições, em obediência à Constituição. O presidente reagiu severamente ao movimento, ordenando a prisão dos líderes da revolta. O movimento mostrava a insatisfação da Marinha, que se sentia politicamente inferior ao Exército. Como não encontrou apoio necessário no Rio de Janeiro algumas tropas revoltosas refugiaram-se na cidade de Desterro – atual Florianópolis em Santa Catarina e, tentaram o apoio dos gaúchos, porém sem êxito. Em março de 1894 o Presidente da República, amparado pelas forças do Exército brasileiro e contando com uma nova frota de navios obtida com urgência no exterior, acabou com o movimento . Floriano Peixoto e a Revolta da Armada numa ilustração de Angelo Agostini Que tal conhecer a Revolução Federalista também iniciada no Governo do Marechal Floriano? Visite os sites http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/revolta-federalista/revolta-federalista-1.php e http://educacao.uol.com.br/historia-brasil/revolucao-federalista-dois-anos-e-meio-de-guerra-civil-no-sul-do-brasil. e faça um resumo desse movimento ocorrido nos primeiros anos da República. Pesquisando na rede... Acesso em 28/10/2011

Slide 20

20 Em 1894,o paulista Prudente de Morais foi eleito o primeiro presidente civil da Primeira República. Sua eleição encerra o período dos governos dos marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. A presidência de Prudente de Morais (1894-1898) inaugurou a preponderância dos interesses dos cafeicultores no período republicano. Deste momento até 1930, os grandes estados – São Paulo e Minas Gerais – assumiram a liderança política de nosso país. Esta hegemonia é caracterizada pela dominação dos fazendeiros, especialmente de café sobre as demais grupos sociais. Os fazendeiros se ligavam aos governadores (ou presidentes) dos estados, aos deputados e senadores, que formavam as oligarquias estaduais. Isto ocorreu porque as estruturas política, econômica e social estavam ligadas ao maior produto da economia nacional – a produção de café. http://www.google.com.br/images Glossário: Hegemonia - Fig. Supremacia, domínio, preponderância, proeminência Oligarquia - se refere ao governo que é exercido por poucos indivíduos ou por famílias poderosas. NA REPÚBLICA DOS CORONÉIS QUEM MANDA É O CAFÉ Agora é com você: Segundo Nicolau Maquiavel, em O Príncipe, política é a arte de conquistar, manter e exercer o poder e o próprio governo. Em sua opinião, a política dos primeiros anos da República atendia aos interesses de que grupo? ..................................................................................................................................... 2. Como terminou o governo do Marechal Deodoro da Fonseca? ....................................................................................................................................................................................... 3. Por que a Marinha revoltou-se contra o governo dos marechais que estavam no poder? Como foram chamadas essas revoltas? ........................................................................................................................................................................................ ................................................................................................................................................................................... 4. Para você, como foram os primeiros anos da República no Brasil? Por quê? ................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................. ......................................................................................................................................................................................... Ao grupo dos militares, especialmente do Exército Terminou com o presidente renunciando ao cargo Porque a Marinha achava-se preterida no novo governo dos marechais que eram militares do exército Tumultuados, confusos, com revoltas armadas devido as intensas disputas pelo poder Acesso em 28/10/2011

Slide 21

21 Como explicar o funcionamento deste acordo político? Veja o esquema ao lado: 1 – Havia uma troca de “favores políticos e financeiros” entre o presidente da República e os governadores dos estados. 2 - Isto fortalecia os governadores e as oligarquias dominantes em cada estado e garantia o apoio destas ao governo federal. 3 - As oligarquias estaduais, por sua vez, negociavam o apoio político em troca de favores com os grupos políticos dominantes nos municípios – os chamados coronéis. 4 - Os coronéis controlavam as eleições municipais através da troca de favores ou mesmo da violência junto aos eleitores, que 5 - pressionados votavam nos candidatos indicados pelos coronéis. Este tipo de ação ficou conhecida como “coronelismo”. HISTÓRIA - 9ª Ano 1º BIMESTRE / 2011 A POLÍTICA DOS GOVERNADORES voto Esquema da Política dos Governadores e do Coronelismo Quais as principais consequências da Política dos Governadores? A primeira , o fortalecimento do coronel local que tornava-se o verdadeiro “dono do município”, contando com o apoio das autoridades locais – prefeito, vereadores, delegados, juízes, promotores e líderes religiosos . Controlando o minicípio, o coronel podia oferecer favores aos eleitores locais como roupas,comida, empregos públicos e proteção. Esta prática política é chamada de clientelismo. Nos períodos de eleição, os dependentes do coronel votavam em massa nos candidatos apoiados e indicados por ele. Essa indução da escolha ficou conhecida como voto de cabresto. Esses e outros procedimentos ilegais como ameaça aos eleitores por capangas dos coronéis e utilização do registro eleitoral de pessoas já falecidas, permitiram a manutenção das oligarquias rurais no poder durante mais de 30 anos.

Slide 22

22 De 1894 a 1930, o modelo político da República beneficiava os interesses ligados à agroindústria cafeeira. O povo chamava a preponderância de São Paulo e Minas na presidência da República de Política do CAFÉ-COM-LEITE, porque dizia que de São Paulo vinha o café e de Minas vinha o leite. Neste período, apenas três dos presidentes da República não foram paulistas, nem mineiros. HISTÓRIA - 9ª Ano 1º BIMESTRE / 2011 A POLÍTICA DO “CAFÉ COM LEITE” http://2.bp.blogspot.com/ Charge publicada na Revista Careta, ano 18, nº 897, 29/08/1925 Observe a charge ao lado e responda: Faça uma descrição da charge. ........................................................................................................................................................................................................................ . 2. Nas roupas ou nos chapéus das pessoas está escrito o nome dos estados brasileiros. Que estados estão ao lado da cadeira onde se lê “Presidência do Brasil” ? ............................................................................................................. . 3. Por quê você escolheu esses estados? ............................................................................................................... ............................................................................................................. . 4. Qual a atitude dos demais pessoas desenhadas na charge? ............................................................................................................... ............................................................................................................... 5. Em sua opinião o que o desenhista quis mostrar com essa charge? ......................................................................................................................................................................................................................... 6. Escreva um título para essa charge. ............................................................................................................. Resposta pessoal Os Estados de São Paulo e Minas Gerais Porque esses estados controlavam a política federal e Somente eles ocupavam a presidência da República Parecem estar escalando um monte para chegar ao poder na República Resposta pessoal Resposta pessoal A segunda consequencia se refere à predominância de Minas Gerais e São Paulo entre os demais estados, a ponto de terem controlado os acordos para a sucessão presidencial durante mais de 30 anos na chamada Política do café-com-leite.. Acesso em 28/10/2011

Slide 23

23 7. Que mecanismos explicam a permanência das oligarquias agrárias dominando a política brasileira\por mais de 3 décadas. ...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... 8. Como funcionava a política dos Governadores? ....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... .......................................................................................................................................................................... 9. O que foi a política do café com leite? ....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... As práticas do clientelismo, fraudes eleitorais, a violência na campo O poder dos coronéis na política nacional. A política dos governadores foi uma troca de favores entre o governo federal e os governos estaduais O presidente da República concedia verbas para os governos estaduais que se encarregavam de eleger deputados e senadores fieis ao presidente da República Foi a alternância no poder federal, presidência da República, de políticos paulistas e mineiros. Ela permitiu que as oligarquias de São Paulo e de Minas Gerais controlassem a política nacional. http://t1.gstatic.com/imags http://t0.gstatic.com/imags http://4.bp.blogspot.cm 10 . Observe as charges abaixo e escreva um título para cada uma explicando que mensagem o autor quis passar ......................................... .......................................... ........................................... ......................................... .......................................... .......................................... ......................................... .......................................... .......................................... ......................................... .......................................... .......................................... 1 1 3 2 2 3 4 4 Resposta Pessoal Resposta Pessoal Resposta Pessoal Resposta Pessoal Acessos em 03/11/2011 http://www.ensinoonline.com.br 4 Eleitor Político

Slide 24

24 Ao longo das primeiras décadas da República, cidades como São Paulo e Rio de Janeiro passaram por transformações inspiradas na urbanização de capitais européias, como Paris . No centro da cidade do Rio de Janeiro havia muitas ruas estreitas, sem esgoto e sem água encanada, e uma grande quantidade de habitações coletivas (cortiços e casas de cômodos) sem conforto e higiene. A população ficava sujeita a várias doenças, como a peste bubônica, a varíola e a febre amarela. O Rio de Janeiro da Belle Epoque” http://www.imagemcultural.com/ http://cafehistoria.ning.com/ O Rio do Bota-Abaixo” Em 1902, assumiu o governo do Brasil o presidente Rodrigues Alves que prometeu em sua campanha construir o novo porto e fazer o saneamento da Cidade do Rio de Janeiro. Para realizar seus planos, o presidente Rodrigues Alves nomeou Francisco Pereira Passos para prefeito da cidade do Rio de Janeiro, a fim de comandar as obras de remodelação da cidade. O prefeito Pereira Passos realizou várias obras: nas áreas centrais os cortiços e sobrados antigos foram desapropriados e deram lugar a novas avenidas e construções de estilo europeu. Os habitantes mais pobres foram empurrados para lugares mais distantes, onde surgiram os subúrbios. Parte dessa população passa ocupar também os morros mais próximos do centro, por ser principalmente o lugar de trabalho e serviços, aumentando a população das primeiras favelas. Fotos de 1904 mostrando demolição para abertura da Avenida Central. http://www.imagemcultural.com/ Acesso em 28/10/2011 Acesso em 28/10/2011

Slide 25

25 Uma das obras mais importantes foi a abertura da Avenida Central (atual Rio Branco), onde foram construídos o Teatro Municipal, a Biblioteca Nacional e a Escola de Belas Artes (hoje Museu Nacional de Belas Artes). http://c6.quickcachr.fotos.sapo.pt/ http://c6.quickcachr.fotos.sapo.pt/ Charge publicada na revista O Malho”, em 18 de março de 1905. Sátira á política de Pereira Passos pela desapropriação de casas na rua Uruguaiana para o alargamento de ruas. http://cafehistoria.ning.com/photo Acessos em 28/10/2011 Avenida Central Avenida Central

Slide 26

26 Os primeiros tempos: inclusão e exclusão Nas suas quatros primeiras décadas, o Brasil republicano continuou sendo um país rural. Calcula-se que nesse período cerca de 70% da população habitava o campo, onde homens, mulheres e crianças viviam na miséria, era uma população carente de terra, saúde e educação, chamada com desprezo de “caipira”. planeta.coppe.ufrj.br Quadro “Redenção de Can” de Modesto Brocos Colheita em fazenda de café, início do século XX http://www.projetoimigrantes.com.br/fotos/ Contrastando com o Brasil rural, as elites procuravam imitar o estilo de vida europeu, especialmente o francês. Nos salões de chá, homens de negócios, grandes proprietários rurais, altos funcionários do governo e políticos influentes, acompanhados de suas famílias, exibiam hábitos e modas europeus. Essa atitude, que vinha desde os últimos anos do Império, acentuou-se com os governos republicano. http://cafehistoria.ning.com/photo Acesso em 20/10/2011 Acesso em 20/10/2011

Slide 27

A GUERRA DE CANUDOS (1893 – 1897) Em 1893 , o beato Antônio Conselheiro reuniu um número significativo de sertanejos e formou o povoado de Belo Monte, depois chamado de Canudos, no interior do estado da Bahia. Estes sertanejos viviam em comunidade. Tudo o que produziam era dividido entre eles. Segundo alguns historiadores, o povoado alcançou o número de 10.000 habitantes. Canudos chegou a ter um excedente de produção tão grande que vendia seus produtos para os municípios vizinhos. Isso representava para os fazendeiros locais uma ameaça. Esses fazendeiros, com medo de que outros camponeses sem terra pudessem ir para o povoado e então perdessem mão-de-obra barata e os agregados que lhes davam poder e prestígio, iniciaram, junto às autoridades, uma campanha denunciando Antônio Conselheiro e seus seguidores. Os fazendeiros diziam que eles eram “monarquistas fanáticos e perigosos”. Três expedições do governo republicano foram enviadas para destruir Canudos e foram derrotadas. Na quarta expedição, o presidente Prudente de Morais mandou seis mil soldados a Canudos. O povoado foi incendiado e seus moradores exterminados. Coordenadoria de Educação HISTÓRIA - 9ª Ano 1º BIMESTRE / 2011 http://www.google.com.br/images Observe a ilustração. Este senhor barbudo foi Antonio Conselheiro uma figura bastante importante da nossa História. Seu nome: Antonio Vicente Mendes Maciel. Antonio Conselheiro era um religioso que andava pelo sertão falando de Deus, mas também criticava o governo republicano em vários aspectos, inclusive sobre a incapacidade do regime em corrigir a situação de desigualdade reinante no sertão. A Constituição de 1891 pouco regulamentava sobre as questões sociais. Por isso, o destino dos mais pobres permaneceu nas mãos da classe dominante. Sem direitos reconhecidos enquanto cidadão da República, camponeses e operários manifestaram-se em movimentos rurais e urbanos que contestaram o modelo político vigente no Brasil. A questão da exclusão vai acompanhar as principais discussões da Primeira República, onde o “social” era visto como “caso de polícia”. 27 Acesso em 20/10/2011

Slide 28

Ataque das tropas federais a Canudos Coordenadoria de Educação HISTÓRIA - 9ª Ano 1º BIMESTRE / 2011 http://www.google.com.br/images Você já leu “Os Sertões”? Pegue emprestado na sala de leitura!.. O fim de Canudos Os Sertões também em quadrinhos Autores: Carlos Ferreira (roteiro) e Rodrigo Rosa (desenhos), sobre a obra de Euclides da Cunha. Editora: Desiderata Editado em 2010 28 Segundo o escritor Euclides da Cunha, este foi o desfecho: “Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a História, resistiu até o esgotamento completo(...) frente à força da quarta expedição de quase 6.000 soldados mandados pelo governo da República. Em 5 de outubro de 1897, foram mortos os últimos defensores da fortaleza do sertão. (...) Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente 5.000 soldados.” (Euclides da Cunha em Os Sertões Vale a pena também pesquisar sobre outro movimento popular ocorrido nesse período conhecido como Revolta do Contestado . Veja abaixo uma sugestão para você realizar sua pesquisa. Não esqueça de indicar os livros e sites pesquisados. A Revolta do Contestado Acesso em 20/10/2011

Slide 29

Coordenadoria de Educação HISTÓRIA - 9ª Ano 1º BIMESTRE / 2011 Você pode pesquisar mais sobre o assunto no endereço http://www.ccs.saude.gov.br/revolta/revolta.html Na legenda à esquerda se lê: "aspecto da Praça da República no dia 14 de novembro de 1904. www.fiocruz.br A REVOLTA DA VACINA 29 Como vimos durante o governo de Rodrigues Alves, o saneamento e a modernização do Rio de Janeiro tornaram-se prioridades. O prefeito Pereira Passos entregou ao médico sanitarista Oswaldo Cruz o combate às epidemias que regularmente assolavam a cidade. Uma série de medidas de higiene pública foram adotadas, como as visitas domiciliares de agentes sanitaristas para remover tudo que fosse considerado prejudicial a fim de combater a febre amarela, a peste bubônica e a varíola. A população se revoltou com as vistorias nas casas feitas sem nenhum esclarecimento. Em 1904, a aprovação do projeto de vacinação obrigatória contra a varíola acendeu o estopim da revolta popular, que culminou em novembro com a Revolta da Vacina. Durante mais de uma semana a população enfrentou a polícia nas ruas, organizando barricadas e quebra-quebras, incendiando carros e outros meios de transportes da época. O governo, sentindo-se pressionado, chegou a dar ordens para que navios da Marinha se posicionassem, ameaçando os revoltosos. Algumas lideranças foram presas. Por fim, diante da resistência da população, o governo decidiu voltar atrás na obrigatoriedade da vacina. http://3.bp.blogspot.com A charge acima ilustra a revolta da população contra Oswaldo Cruz - o personagem de bigodes ao centro, montado em uma seringa. http://cafehistoria.ning.com/photo Acessos em 20/10/2011

Slide 30

30 Os marinheiros rapidamente tomaram os dois principais navios de guerra que estavam ancorados no porto do Rio de Janeiro. Apontaram os canhões para a cidade e fizeram uma série de reivindicações: - fim das chibatadas; - aumento dos soldos; - a anistia para os revoltosos. Diante dos canhões, o Congresso votou o fim dos castigos corporais e anistiou os participantes da revolta. Os marinheiros depuseram as armas e devolveram o controle dos navios aos oficiais. Entretanto o decreto de anistia foi descumprido e o governo passo a perseguir e prender os marinheiros . Alguns morreram na Ilha das Cobras e outros foram fuzilados a caminho da Amazônia . O líder principal – João Cândido – conhecido como o Almirante Negro foi considerado louco e internado num manicômio. Foi julgado em 1912 e inocentado. Assim como em Canudos , em Contestado e na Revolta da Vacina, outro movimento, conhecido como a Revolta da Chibata, expressou o descontentamento da população, desta vez representada pelos marinheiros. Sua mais importante liderança foi o marinheiro João Cândido. Quais as razões do movimento? Na época, o Código Disciplinar da Marinha era extremamente severo e lembrava o período da escravidão, estabelecendo castigos corporais para as faltas consideradas graves. De acordo com alguns historiadores, a situação dos marinheiros estaria associada ao preconceito, pois estes servidores de baixa patente eram, em sua maioria, afrodescendentes. Daí, as chibatadas. Em 1910, um dia após a posse do presidente Hermes da Fonseca, os marinheiros se rebelaram. A “gota d’água” foram as chibatadas recebidas por um marinheiro, testemunhadas por toda a tripulação. Mesmo após ter desmaiado, ele continuou a ser chicoteado. Revolta da Chibata Marinheiros do encouraçado São Paulo João Cândido lê o decreto de anistia no Diário Oficial http://www.brasil.gov.br/imagens/linha-do-tempo http://www.brasil.gov.br/imagens/linha-do-tempo Acesso em 20/10/2011

Slide 31

31 Cruzadinhas Histórica sobre a Primeira República no Brasil Vamos responder uma cruzadinha de forma diferente? Como os espaços já estão preenchidos, sua tarefa é criar questões para as respostas já colocadas. Veja o exemplo: 1. O grupo oligárquico mais poderoso durante a República Velha foi o dos ... Agora é com você. Pesquise em seu Caderno Pedagógico ou livro didático e escreva questões bem criativas e corretas para as respostas já dadas. Horizontal 2- ........................................................................................................................................................................... 3 - .......................................................................................................................................................................... 5 - .......................................................................................................................................................................... 7 - ............de cabresto .......................................................................................................................................... 8 - ......................................................................................................................................................................... 9 - .......................................................................................................................................................................... Vertical 1 - .......................................................................................................................................................................... 4 - .............da Espada .......................................................................................................................................... 6 - .......................................................................................................................................................................... 7 - ......................................................................................................................................................................... Resposta Pessoal

Slide 32

32 Agora é com você: 1.Leia os texto que fala sobre as revoltas populares ocorridas na Primeira República e responda: Onde e quando ocorreu a Revolta da Vacina?as construções ........................................................................................................................................................................................ b) Contra o que a população do Rio de Janeiro quis se manifestar com a Revolta da Vacina? ........................................................................................................................................................................................ c) “Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a História, resistiu até o esgotamento completo (...)” Por que Euclides da Cunha inicia o seu texto ”Canudos não se rendeu”? .......................................................................................................................................................................................... d) .Por que o governo além de exterminar quase toda a população do Arraial de Canudos fez questão de destruir fisicamente, derrubando as casas e incendiando o povoado? ................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................ e) Você acha que as revoltas da Vacina ou da Chibata podem ser consideradas como Golpe de Estado, tendo o objetivo de destituir do poder o presidente da República? Justifique sua resposta. ..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... Aconteceu no Cidade do Rio de Janeiro em 1904 Contra as medidas de higiene pública adotadas pelo governo , inclusive a vacinação obrigatória Os moradores de Canudos não se entregaram, resistindo até o esgotamento completo. Resposta possível:Para que não sobrasse nada do Arraial de Canudos, nem construções ou os moradores. Não tiveram o caráter de golpe de Estado. Foram revoltas locais e protestando por situações específicas. PRIMEIRA REPÚBLICA DO BRASIL .............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................. 2. Complete a Linha de Tempo abaixo selecionando alguns acontecimentos do período que estudamos. Veja o exemplo: 1889 - Proclamação da República Resposta Pessoal

Slide 33

Coordenadoria de Educação HISTÓRIA - 9ª Ano 1º BIMESTRE / 2011 O MOVIMENTO OPERÁRIO Como vimos as questões sociais não foram consideradas na redação da Constituição de 1891. Por isso, as relações de trabalho nas cidades eram definidas pelos proprietários das fábricas , oficinas e casas comerciais. No início do séc. XX, ainda não tínhamos uma legislação trabalhista. Os salários não acompanhavam os custos dos trabalhadores. Logo, suas condições de vida e trabalho eram péssimas. Não tinham férias, aposentadoria e outros direitos como assistência ao trabalhador doente ou acidentado e regulamentação do trabalho feminino e infantil. Já em 1906 foi realizado o Primeiro Congresso Operário Brasileiro e ficou estabelecido que, no ano seguinte, no dia 1º de maio de 1907, seria inaugurada a campanha de luta pela jornada de 8 horas de trabalho. Segue um período de intensa mobilização dos trabalhadores. O momento mais significativo ocorreu em 1917. Os operários de São Paulo fizeram a maior greve da República Velha. As principais reivindicações eram: - jornada de 8 horas; - aumento de salário; - diminuição dos aluguéis e do preço dos alimentos. O movimento se espalhou por vários estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Em São Paulo, apesar de haver um aumento de 20% para os trabalhadores e haver declarações (por parte dos patrões) que não haveria dispensa de grevistas, os patrões iniciaram uma onda de demissões, após o fim da greve. Disponível em: http://www.anarkismo.net/attachments/nov2010/ms_01_greve1917.jpg  33 Disponível em:  http://4.bp.blogspot.com/   Acesso em 16/10/2011

Slide 34

Coordenadoria de Educação HISTÓRIA - 9ª Ano 1º BIMESTRE / 2011 Charge 1- ‘Quaresma em crise” assinada por Vitolino Publicada na revista O Pirralho (1917) Extraído da Revista de História da Biblioteca Nacional Disponível em:  http://4.bp.blogspot.com/   Charge 2 - "Igualdade e Fraternidade" Publicada originalmente em “A Plebe” n° 001, 9 de junho de 1917. ttp://imagemerevolucao.files.wordpress.com Discutindo as charges : 1.Você sabe o significado do termo “quaresma”? E qual a relação do mesmo com o “peixe” da charge. .................................................................................................................................................................................... 2. Descreva a cena que você vê na charge "Quaresma em crise". ................................................................................................................................................................................... 3. Qual será a relação desta charge com a situação dos trabalhadores das fábricas no começo do século XX? .................................................................................................................................................................................... 4. Descreva o que você vê na charge "Igualdade e Fraternidade". ....................................................................................................................................................................................... 5. Que setor da sociedade é representado pela pessoa sentada nos sacos de dinheiro? ........................................................................................................................................................................................... 6.Como as duas charges se relacionam? ............................................................................................................................................................................................ Um grande grupo de pessoas parecendo pobres e um homem gordo (rico) sentado em cima de sacos de dinheiro É o período conhecido como Semana Santa, quando não se come carne de gado, só de peixe Mostra um homem levando para\ sua família só os ossos do peixe para a Quaresma Representa a miséria dos trabalhadores que nem um peixe inteiro podia comprar, sé as espinhas Representa os proprietários e empresários Representam a situação de miséria do povo 34 Acessos em 16/10/2011

Slide 35

35 1.Nacionalismo : Observe bem a imagem desta página. Escreva abaixo, que sentimentos ou simplesmente em que você pensa enquanto olha a imagem: ____________________________________________________________________

Slide 36

- Pensando o conceito de “Nacionalismo”: 36 Quando falamos de uma “nação rubro negra” estamos falando de _____________ ___________________________________________________________________ . A torcida do Corinthians segundo a bandeira que carregam nos jogos, se intitulam “uma nação ... de loucos”. Qual o sentido da palavra NAÇÂO neste contexto ? _________________________________________________________________

Slide 37

- Pensando o conceito de “Nacionalismo”: Quando pensamos em nação ou nacionalismo no Brasil, quase sempre pensamos em situações ligadas ao esporte. Entre nós, brasileiros, é bastante comum quando ocorre algum evento esportivo usarmos uma camisa com as cores da nossa bandeira, ou até mesmo colocar nossa bandeira na janela. Enfim, de diferentes formas, cada um acaba nestes eventos demonstrando sua “devoção”´ao seu país e defendendo sua bandeira. Pois bem, até agora falamos de nação/nacionalismo como um sentimento que une pessoas que professam uma mesma fé em algo ou que se unem por defenderem a bandeira de um mesmo time. 37 Vemos logo acima um exemplo de um “confronto” de seleções que faz qualquer brasileiro “sair do sério”. A que disputa a imagem se refere? ______________________________________________ Como se percebe isso em outras realidades na História? Será que este sentimento nacionalista já serviu para unir outras populações que construíram uma mesma identidade em torno de outros interesses ? Interesses políticos ou econômicos, por exemplo ? Vamos ver como esse mesmo sentimento nacional, ao final do século XIX uniu as populações nos territórios italianos e alemães. A disputa entre Brasil e Argentina expressa nos jogos de futebol.

Slide 38

38 1.Nacionalismo: Geralmente, quando falamos de nacionalismo, nos referimos a um sentimento ou conjunto de ideias que unem um determinado grupo em torno de algumas coisas em comum, como por exemplo, língua, território, cultura.. Mas será que sempre foi assim ? Será que o fator motivador de um grupo que tem a mesma identidade está relacionado somente as características destacadas acima ? Ou existiram outros interesses ? Enquanto nações como Portugal, Espanha, Inglaterra já tinham se tornado Estados Nacionais desde o século XV, outros territórios na Europa até o final do século XIX, ainda não haviam passado pelo mesmo processo. Até aí tudo bem, não é? As realidades são diferentes e já vimos isso em diversas experiências históricas. Porém, tanto no território do que hoje chamamos de Itália quanto no território onde se localiza a Alemanha, ao final do século XIX, determinados grupos ligados ao comércio, observaram que, a ausência de uma unidade territorial e política se apresentava como um obstáculo aos seus interesses. Passaram então a defender a formação de uma unidade política em torno de um estado unificado. - Vamos ver como isso aconteceu ? guerras.brasilescola.com schleswig-holstein.com.br

Slide 39

39 Até a segunda metade do século XIX, a Itália era dividida em diversos reinos e condados: Reino de Sardenha Reino das Duas Sicílias Reino Lombardo-Veneto Estados Pontifícios Grão-Ducado de Toscana Ducado de Parma Ducado de Módena Quais os interesses que levaram ao processo de unificação ? O interesse da burguesia industrial do norte da Itália, politicamente patrocinada pelo primeiro ministro de Piemonte, Camilo di Cavour, alcançou a unificação de parte dos reinos do norte. No ano de 1861, o Reino da Itália já era composto por grande parte do seu atual território. Entre 1866 e 1870 as cidades de Veneza e Roma foram finalmente anexadas ao novo governo. Mas o processo de unificação só teve fim após a Primeira Guerra Mundial, em 1929, quando através do Tratado de Latrão, terminou a questão com a Igreja Católica e foi criado o Estado do Vaticano. É importante marcar as permanências em meio às mudanças : após a unificação, vemos uma Itália de certa forma, ainda dividida. Isto porque o norte caminhou em direção ao desenvolvimento industrial. Enquanto isso, no sul, a economia permanece se desenvolvendo junto à sua tradição agrícola. 101stusers-board.net brasilescola.com

Slide 40

40 3. Alemanha : Unificação e desenvolvimento industrial Bismark – Líder da Unificação na Alemanha Na Alemanha, um aspecto semelhante a unificação italiana, foram os interesses econômicos, em particular, ligados ao desenvolvimento industrial. Para o historiador Francisco Falcon, algumas vezes, o nacioanlismo “funcionou como uma arma na competição mundial”. E, de fato, podemos aplicar isso ao processo de unificação da Alemanha. Vamos ver por que ? Antes de acontecer a unificação alemã, ou seja, antes de existir o país chamado Alemanha, como conhecemos hoje, havia a Confederação Alemã, formada por 38 estados. A Prússia e a Áustria eram as estados mais influentes da Confederação. Na Áustria a economia era baseada na agricultura. Já na Prússia, havia grande interesse,por parte dos grupos de comerciantes e dos industriais, na unificação. Estes grupos acreditavam que através da unidade política poderiam encontrar condições melhores para o desenvolvimento econômico. Assim, foi criada uma liga que reunia alguns dos estados da Confederação – o Zollverein . Esta liga aboliu com as tarifas alfandegárias. Após a vitória contra a França, a Prússia conseguiu enfim, unificar a Alemanha. Depois da unificação, conquistou também as regiões da Alsácia – Lorena , rica em minério de ferro e carvão. Assim, o império alemão viveu uma rápida ascensão de sua economia. O processo de unificação da Alemanha, junto com o italiano, simbolizou um período de acirramento das disputas entre as economias européias. A partir do estabelecimento dessas novas potências econômicas, observamos uma tensão política que vai aumentar por conta da disputa imperialista. schleswig-holstein.com.br brasilescola.com acesso em 02/11/11

Slide 41

Recapitulando: Explique por que, ao final do século XIX, os grupos ligados ao comércio defendiam a formação de uma unidade dos territórios italianos ? _______________________________________________________________________________________________ 2) Descreva resumidamente, como foi o processo de unificação da Alemanha. A Confederação Alemã era formada por 38 estados. Alguns grupos ligados ao comércio e a indústria defendiam a unificação pois, acreditavam que a unidade política, pudesse trazer melhores condições para o desenvolvimento econômico. Foi criada uma liga que reunia alguns estados da Confederação e que acabava com as barreiras alfandegárias. O último impedimento à unificação foi superado quando conseguiram a vitória no conflito com a França. 3) “O processo de unificação da Alemanha, assim como o italiano, simbolizou um período de acirramento das disputas entre as economias européias.” Você concorda com a afirmação acima ? ( X ) sim ( ) não Justifique sua resposta: A afirmativa é correta porque a unificação destes territórios fortaleceu economicamente a Itália e, principalmente a Alemanha. Isto criou uma “onda” de instabilidade porque os outros estados europeus passaram a ver os recém unificados como uma ameaça. _______________________________________________________________________________________________ 41 Estes grupos acreditavam que a unificação do território e a unidade política iriam ampliar o comércio.

Slide 42

Recapitulando: Depois do que já estudamos, escreva nas linhas abaixo as suas conclusões sobre o processo de unificação dos territórios italianos e alemães. Qual foi a sua maior contribuição ? De acordo com o que estudamos, para os países que se formaram – Itália e Alemanha – a maior contribuição trazida pelo processo de unificação, foi o fortalecimento político dos países então formados. - Traga na próxima aula, registros de outras localidades onde hoje a questão nacional ainda está para ser resolvida. 42 Prezado(a) colega, é interessante, dentro das possibilidades do seu espaço escolar, trazer para a sala de aula alguns exemplares de jornais já que os alunos não tem essa prática. Proporcionar que eles possam saber manusear os jornais e identificar nas notícias diferentes possibilidades de atualizar o conhecimento que adquiriram no livro didático e no caderno pedagógico.

Slide 43

O Crescimento econômico e a disputa de territórios: Desde a realização da Copa do Mundo de 2010, os veículos de comunicação tem falado muito da África. Diversas regiões destes continentes, juntamente com a Ásia, vive até hoje, uma situação de instabilidade. Quais as razões dessa realidade ? É o que vamos ver a partir de agora. Nas últimas décadas do século XIX, as nações industrializadas da Europa Ocidental realizaram um grande processo de ocupação na Ásia e África. É importante lembrar que alguns estados europeus, ainda no século XVI, já haviam realizado um processo de expansão de seu território em busca de riquezas na América. Desta vez, no século XIX, mais estados europeus, motivados não só por razões econômicas, também buscaram outros territórios que pudessem atender aos seus interesses. Como podemos explicar esta expansão colonial ? Para você não se “perder no tempo e no espaço”, vamos observar na próxima página, uma “linha do tempo”. Nela, fica claro que, ao final do século XIX, a maioria dos países europeus disputavam entre si e se apropriaram de diversos territórios na África e Ásia. Colocamos neste quadro também grande parte dos assuntos que vamos trabalhar neste bimestre, tanto no Brasil, como no restante do mundo, com o objetivo de que você possa ter um olhar mais abrangente do que vamos estudar. africaeasia.webs.com* acesso em 01/11/11 * Todas as ilustrações da página.

Slide 44

Observando o “Tempo e os Espaços”: - Observe a “linha do tempo”: - Você reparou ? Os acontecimentos ocorrem em diferentes espaços, mas os processos podem ser simultâneos. 44

Slide 45

Recapitulando: - Agora, responda as questões abaixo: Cite dois acontecimentos da linha do tempo que se relacionam com a Primeira Guerra Mundial. .A formação da Tríplice Aliança; . A formação da Tríplice Entente. Cite dois acontecimentos que se relacionam com a expansão colonial do século XIX. . Conferência de Berlim; . Guerra dos Bôeres. Dos períodos destacados, que acontecimento político ocorreu no Brasil? A Proclamação da República e a Revolta da Vacina _____________________________________________________________________________________________

Slide 46

46 Mas vamos entender por que os estados europeus disputavam , ao final do século XIX, territórios na África e Ásia. Quais eram os interesses daqueles países? Observe com atenção o esquema abaixo!

Slide 47

A Segunda Revolução Industrial A segunda metade do século XIX foi marcada por um período de grande prosperidade econômica. Podemos destacar duas grandes características que revelam este crescimento: > a ampliação do comércio mundial; > acúmulo de capitais. Este incremento na economia, principalmente por conta do excedente de capitais, está intimamente associado ao desenvolvimento técnico e científico denominado Segunda Revolução Industrial, marcada pela: . utilização de novas fontes de energia, como petróleo e a eletricidade; . a produção do aço em grande escala. O texto a seguir nos fala um pouco das mudanças ocorridas na economia capitalista neste período. Mas o que é isso? ulhajaa.blogspot.com portalsaofrancisco.com.br lorenk-ceav.blogspot.com acesso em 20/10/11

Slide 48

As Transformações da Economia Capitalista Em primeiro lugar, entramos numa nova era tecnológica, uma era de novas fontes de energia (eletricidade, petróleo, turbinas e motor a explosão). Vimos também a invenção de máquinas com a utilização de novos materiais, de indústrias baseadas em novas ciências, tal como a indústria química. Em segundo lugar, entramos também cada vez mais na economia de mercado de consumo. Em terceiro lugar, observamos a formação de economias industriais nacionais rivais – como a inglesa, a alemã e a norte-americana – que passam a competir entre si e acabam por formar um bloco de concentração econômica e de disputa de mercados. Por fim, o mundo entrou no período do imperialismo. As potências passaram a dividir o globo para realizar seus negócios. As novas indústrias precisavam de matérias-primas que não existiam nos países desenvolvidos: petróleo, borracha, metais... A nova economia necessitava também de novos mercados, assim como mão-de-obra barata. Por isso, inicia uma “incursão” nas regiões que ofereciam essas condições. Houve uma divisão global entre áreas desenvolvidas e as subdesenvolvidas que, embora não fosse nova, começou a tomar uma forma e durou, em alguns casos, até a década de 1930. (Adaptado de Hobsbawn, Eric. em A Era dos Impérios) Podemos observar que a economia européia capitalista, principalmente na segunda metade do século XIX, mudou de quatro formas significativas. Veja no texto abaixo como o historiador Eric Hobsbawn divide estas mudanças. Leia com atenção e responda as questões na outra folha:

Slide 49

49 Recapitulando: Releia o texto e responda as questões a seguir: Identifique no texto as mudanças na economia capitalista ao final do século XIX. Em primeiro lugar, o texto indica que a economia capitalista entrou na “era tecnológica”; Formou-se a economia de mercado de consumo; Houve a formação de economias industriais nacionais; Por fim, o texto aponta que “o mundo entrou no período do imperialismo” - as potências européias iniciam um período de incursão nas regiões que ofereciam condições para o atendimento das suas necessidades economicas. 2. Explique o que você entendeu por “diivisão global” das regiões. 3. Pesquise e responda: E hoje ? Existem regiões que continuam tendo esse papel de fornecedoras de matérias-primas ? Busque informações em jornais / revistas / sites da internet e monte um painel em sala de aula . Sim . Ainda hoje existem regiões que atuam como fornecedoras de matéria-prima e mão-de-obra. Na pesquisa, o(a) professor(a) pode orientar os alunos a pesquisarem diferentes situações no Brasil - no que se refere aos interesses de diferentes países em regiões como a da Amazônia; é possível destacar algumas regiões na Ásia e África. Também há casos recentes de empresas européias que utilizam trabalho escravo . _________________________________________________________________________________________ Indicações de alguns “sites” úteis para sua pesquisa : . www.brasilescola.com.br; www.minhapesquisa.com.br . As regiões foram divididas entre os países que tinham uma economia forte, em constante crescimento e que buscavam regiões fora da Europa , que pudessem atender aos interesses econômicos e de dominação cultural – caso da Inglaterra.

Slide 50

50 É importante que agora possamos, de fato, compreender o significado desta divisão do continente africano. Esta divisão é o que chamamos de imperialismo ou colonialismo do século XIX. planetaeducacao.com.br

Slide 51

Mas o que é “IMPERIALISMO” ? Estamos falando de um conceito que muitas vezes, se não explicarmos direito, pode causar confusão, não é? Só para lembrar: a primeira coisa que dissemos foi que, principalmente a partir de 1870, determinadas nações que haviam passado por um crescimento econômico, sentiram a necessidade de se expandir. Que nações foram essas? - Inglaterra - Itália - França - Japão - Holanda - Bélgica - Alemanha Em relação ao que chamamos de imperialismo, é importante destacar alguns pontos : O crescimento e consolidação do sistema capitalista nestes países fez com que fosse criada uma nova realidade além da esfera econômica. Nasce uma nova reordenação política e social. Ao lado do aumento da necessidade de mercados consumidores e fornecedores de matéria-prima, o crescimento das populações urbanas gerou uma nova demanda de alimentos. A partir desse conjunto de novas necessidades sócio-políticas e econômicas, o fenômeno a que chamamos de imperialismo é a motivação dos países industrializados para controlar e dominar as regiões que, segundo eles, “necessitavam” de sua intervenção, já que eram possuidores do “modelo de civilização. Em relação ao termo colonialismo, este se refere ao controle da região a partir da ocupação territorial, domínio e apropriação das riquezas dos territórios ocupados, neste caso, a Ásia e África.

Slide 52

Ver é aprender: - A imagem abaixo é uma charge do artista H.Meyer, publicada em 1898 num jornal francês. 1. A charge se refere a partilha da China entre as seguintes potências européias da época: Alemanha, Inglaterra , Russia e Japão 2. Que atitude você percebe entre as figuras que representam a rainha da Inglaterra e o “kaiser” alemão? Eles aparentam estar numa atitude de disputa. 3. Qual a relação da imagem com o Imperialismo? A outra face do imperialismo é o colonialismo: a ocupação dos territórios que eram de interesse dos estados expansionistas europeus, no século XIX. N a China: “O bolo dos reis e dos imperadores” imagohistoria.blogspot.com – acesso em 20/10/11

Slide 53

53 Recapitulando: - Observe com atenção o mapa abaixo . Pinte com duas cores diferentes e crie uma legenda para o mapa, identificando os dois territórios que foram ocupados pelas nações européias no processo do colonialismo do século XIX: Legenda: ______________________ ______________________ É importante explorar o mapa para lembrar de conceitos como Oriente / Ocidente; Velho Mundo e Novo Mundo. Esta é uma atividade que deve ser realizada em sala para que o(a) professor(a) possa observar se existem e quais são as dificuldades dos alunos em relação ao trabalho com mapas. > O(A) aluno(a) deve colorir as regiões da Ásia e África , completando a legenda. papeis.blogs.sapo.pt

Slide 54

54 Marcas do Imperialismo: Opressão e Resistência: É importante ter claro que, os povos asiáticos e os povos do continente africano, não “assistiram” a sua ocupação sem nenhuma resistência. Mas antes de trabalhar as formas de resistência daqueles povos, é importante ficar claro a razão da ocupação. Para além das questões econômicas, as nações européias tiveram diferentes razões para empreender a ocupação na África e Ásia. Observe as imagens abaixo e pense quais seriam estas outras razões. 1. Em relação à ocupação imperialista, quais os “personagens” representados na ilustração ? _______________________________________________ 2. Observe a segunda ilustração. Identifique os dois grupos presentes nos diferentes “planos”. Quem está no primeiro plano ? Que grupo está representado em segundo plano? ________________________________________________ Em segundo plano, aparecem os colonizados . ________________________________________________ O colonizador europeu e o africano – o colonizado. Em primeiro plano aparecem os colonizadores europeus.

Slide 55

55 Imperialismo: marcas da opressão e resistência : Trabalhando com imagens: Observe e responda: Que grupos representam as pessoas retratadas na ilustração ? b) Quem está acima ? Quem está num plano mais baixo? Em primeiro plano, aparece o colonizador europeu. Em segundo plano, abaixo, aparecem os negros colonizados. * Caro colega, seria interessante explorar as diferentes possibilidades de “leitura” das imagens e o que elas nos revelam . Aqui é importante que os alunos entendam por que uns estão “acima” e outros “abaixo”. c) Na sua opinião, por que os “personagens”, tanto nesta imagem, quanto na ilustração da página anterior,são retratados em primeiro e segundo plano ? Resposta pessoal. * Importante que nós possamos junto com os alunos, trabalhar a temática da “missão civilizadora” – uma das justificativas da ocupação imperialista. _______________________________________________ O homem branco representa o colonizador europeu; os dois outros , mais abaixo, representam os colonizados. contemporaneum.blogspot.com.br – acesso em 17/10/11

Slide 56

56 A ocupação imperialista teve além de outros objetivos, a marca da opressão cultural. As nações européias que realizaram a ocupação dos continentes asiático e africano, também se achavam “portadoras do processo civilizatório”. Ou seja, aquelas nações não reconheciam a cultura própria das populações que viviam na Ásia e África. Não reconheciam nas diferenças uma outra forma de vida, uma outra cultura, um outro padrão comportamental. Leia o trecho abaixo e observe a visão do europeu em relação ao africano : Imperialismo: Opressão e Resistência Retorne a leitura do texto ao lado e responda: Sobre o que fala o texto ? O texto fala da suposta superioridade dos brancos em relação aos negros, razão que foi utilizada como justificativa da ocupação do território africano . 2) “Os europeus reconheciam na cultura dos povos da África e Ásia uma outra forma de compreender o mundo e sempre as respeitaram.” Você concorda com a afirmativa ? ( )sim ( X )não Justifique sua resposta: Os europeus não reconheciam as outras culturas ; o que não fosse a partir de sua visão de mundo era considerado como “sem cultura” ou como “sem civilização”. 3)Copie do texto ao lado um trecho que comprove que os europeus, principalmente os ingleses, achavam que representavam o “modelo de civilização”. “Todo mundo estará de acordo que um inglês tem direito a considerar que sua forma de entender o mundo e a vida é melhor que a de um hotentote ou um maiori.” “ O conde Grey acaba concluindo que o branco, e particularmente o inglês, é o único que sabe governar, o que lhe outorga direitos indiscutíveis para dominar as raças de cor, evidentemente inferiores: Provavelmente todo mundo estará de acordo que um inglês tem direito a considerar que sua forma de entender o mundo e a vida é melhor que a de um hotentote ou um maori; e ninguém se oporá, em princípio, a que a Inglaterra faça o possível para impor a esses selvagens os critérios e modos de pensar ingleses, posto que são melhores e mais elevados. Há alguma possibilidade , de que no futuro possa desaparecer o abismo que separa os negros dos brancos ?” (BRUIT,Héctor. Imperialismo. Ed. Atual)

Slide 57

57 Imperialismo: A Resistência Durante muito tempo as populações na Ásia e África foram dominadas. Porém, não podemos deixar de reconhecer suas diferentes formas de resistência. Na fala de um nativo da Indochina fica clara a indignação com a situação de dominação a que estavam submetidos. Foi o primeiro passo para as rebeliões que veremos adiante. “Aos vossos olhos, somos selvagens, animais obscuros, incapazes de distinguir entre o Bem e o Mal. Não somente vos recusais a nos tratar em pé de igualdade, como temeis até a nossa aproximação, como se fôssemos objetos de asco*... Nosso coração se enche de tristeza e de vergonha, quando à noite repassamos todas as humilhações que sofremos durante o dia.” Podemos dizer que as populações dos continentes africano e asiático não se revoltaram contra a ocupação das nações européias? Não. De acordo com o texto acima, vimos que existiram diferentes formas de resistência. 2.Que sentimentos são revelados no depoimento do nativo indochinês? Ele demonstra sentir tristeza e vergonha. Glossário: . asco : nojo imagohistoria.blogspot.com

Slide 58

58 A Primeira Grande Guerra: Como já dissemos, as nações européias desde a “corrida imperialista” viviam num clima de disputa. E isto só aumentava no início do século XX. Qual o cenário do mundo antes da Primeira Guerra ? A Europa entrou em guerra por várias razões. Os países mais poderosos da Europa, se envolveram em conflitos que aumentavam cada vez mais a tensão no continente. Veja alguns exemplos: Acima vemos uma das áreas de grande tensão. Os Impérios Austro-húngaro e Turco-otomano (Turquia)dominavam a região dos Bálcãs. Esta região formava um verdadeiro “mosaico”,reunindo vários povos e nações. Se a diversidade entre os povos já não fosse razão suficiente para as tensões, juntemos a isto o fato de que o Império Russo também tinha interesse naquela região; A França queria a Alsácia e a Lorena, territórios que pertenciam a Alemanha desde 1871; a Alemanha disputava territórios na Ásia e África com a França e a Inglaterra; Como você pode observar, não faltavam motivos para que os estados europeus entrassem em guerra. Vamos ver como e quais foram os próximos passos ? pt.wikipedia.org

Slide 59

59 Depois do cenário montado - Os “atores ganham seus papéis”: Neste clima de rivalidades, os países começaram a reforçar seus exércitos. Formou-se a chamada “Corrida armamentista” Este nome foi dado ao período em que observamos os países fortalecendo seus exércitos e investindo pesado na indústria bélica, produzindo equipamentos e armas. Em muitos países o serviço militar tornou-se obrigatório e muitos cientistas começaram a desenvolver novas armas e bombas Este processo ganhou o nome de “Paz Armada”. Ou seja, a Europa havia se tornado um “barril de pólvora”. Para se fortalecerem ainda mais, os países formaram alianças de acordo com seus interesses: Em 1882, foi formada a Tríplice Aliança, que reunia as seguintes potências: Alemanha, o Império Austro-Húngaro e a Itália. Em 1907, a França, a Inglaterra e o Império Russo formaram a Tríplice Entente. É claro, que desta forma, como dissemos, o cenário de guerra estava montado, os “atores já tinham seus papéis”. Só faltava agora, dar “início ao enredo da História”. Apesar de falarmos dessa maneira, é importante que tenhamos claro que os acontecimentos que veremos adiante, nos coloca frente a um conflito de dimensões jamais vista até então: a Primeira Guerra Mundial. Observe o mapa acima. A Guerra teve início com o conflito entre dois blocos: a Tríplice Entente e os países que formavam as Potências Centrais, formada originalmente pelos países da Tríplice Aliança. brasilescola.com.br – acesso em 18/10/11

Slide 60

60 Primeira Grande Guerra : As Diferentes Fases A Primeira Guerra pode ser dividida em três fases: 1)Guerra de Movimentos (1914-15) – fase marcada pelo rápido avanço das tropas alemãs, ocupando a Bélgica, Polônia e outras regiões da Europa. Foi travada no inverno da Rússia. 2)Guerra de Trincheiras (1915-17) – foi a mais longa e mortal. Neste período os soldados se viram obrigados a ficar quase todo o tempo atolados na lama, sujeitos ao frio, aos ataques de gás tóxico e à artilharia do inimigo. 3)O “Ano da Virada” (1917-18) – Em 1917, o Império Russo se retirou. Isto aconteceu porque no território russo, ocorria a Revolução Socialista(que estudaremos no próximo bimestre). O novo governo da Rússia defendia a paz com a Alemanha. Os Estados Unidos da América entraram no conflito a favor dos aliados que, deste modo, ganharam novo vigor para a guerra. A entrada dos EUA na guerra representou: Apoio financeiro aos aliados; Aumento do número de soldados para lutar ao lado da Tríplice Entente Novos armamentos Na verdade, neste período, a guerra voltou a ser “de movimento”. Em 1918, os exércitos da Potências Centrais sofreram sucessivas derrotas. Todavia, as tropas alemães venceram as tropas da França e da Bélgica. Os ingleses venceram as tropas da Turquia e da Bulgária. A Itália e os exércitos da Áustria-Hungria foram derrotados e se renderam.

Slide 61

61 O Fim da Guerra: Já no final da guerra, a Alemanha estava cada vez mais isolada no conflito e a guerra ficou insustentável. As tropas e a população sofriam com a guerra e com as consequências do bloqueio econômico. Pressionado, o Kaiser alemão Guilherme II abdicou e foi instaurada uma república com sede na cidade de Weimar. Em 11 de novembro de 1918, o novo governo alemão assinou, na França, o Armistício (declaração de rendição). A Alemanha se rendeu e os países que participaram da guerra prepararam os acordos de paz. Recapitulando... 1.Escreva o nome dos países que formavam a: Tríplice Aliança : Alemanha, Império Áustro-Hungaro e Itália Tríplice Entente: Inglaterra, França e Rússia (que sai em 1917 ; neste período os Estados Unidos entram) 2. Explique por que o período anterior à Primeira Guerra é chamado de “Paz Armada”. Porque observamos neste período uma tensão crescente e as potências, embora sem estar em conflito, viviam um clima de disputa e investiam em seus exércitos e indústria bélica.

Slide 62

62 Como ficou a Europa após a Guerra? Observe com atenção o mapa ao lado. É importante saber que, muito além de mudanças geográficas, na configuração do mapa europeu, o estabelecimento de novas fronteiras significou a implantação de uma nova ordem européia, onde as potências vencedoras aos poucos, buscavam o fortalecimento da nova correlação de forças que se estabeleceu com o fim da guerra. Uma forma de se observar isto é através dos tratados que foram realizados após a Primeira Guerra. Tratado de Saint-Germain: Definiu o desmembramento do Império da Áustria-Hungria e legitimou a criação de novos países em seu território: Polônia, Tchecoslováquia, Hungria e Iugoslávia; Criação da Liga das Nações, que tinha como objetivo manter a Paz mundial. Tratado de Versalhes: Assinando este tratado, a Alemanha : Reconheceu a responsabilidade pela guerra; Restituiu a Alsácia-Lorena para a França; Perdeu todas as suas colônias; Foi obrigada a reduzir seus armamentos e seu exército; Teve que pagar pesadas indenizações aos países aliados.

Slide 63

63 Recapitulando... Volte ao mapa da página anterior e responda : Que países novos surgiram ? Polônia, Tchecoslováquia, Hungria e Iugoslávia. Que países ou impérios desapareceram ? O Império Áustro-Hungaro e o Império Russo. Quais os países permaneceram, mas perderam parte de seu território ? Alemanha e Italia. 2. Leia o texto abaixo que fala sobre as consequências da Primeira Guerra para a economia dos EUA: “A guerra foi visivelmente boa para a economia dos Estados Unidos. Sua taxa de crescimento foi bastante elevada. (...) Os Estados Unidos se beneficiaram do fato de estarem distantes da luta e serem o principal arsenal de seus aliados, e da capacidade de sua economia organizar sua produção. Em 1914, já eram a maior economia industrial, mas ainda não a dominante.” (HOBSBAWN, Eric. Era dos Extremos: O Breve século XX, pag. 55) a)De acordo com o texto, por que os Estados Unidos se beneficiaram com a guerra? Porque a taxa de crescimento econômico ficou bastante elevada após a guerra. Os EUA se beneficiaram desta forma porque estiveram distantes dos confrontos, seu território não sofreu danos. b)O que aconteceu com a economia norte-americana, após o término da guerra? Os Estados Unidos , que já em 1914, eram a maior economia mundial, se fortaleceram ainda mais.

Slide 64

64

Summary: Fim do 2 Reinado Proclamação da República República Verlha Nacionalismos Primeira Guerra Mundial

Tags: historia século xix e xx

URL: