Questões éticas nas pesquisas em psicologia

+23

No comments posted yet

Comments

giumedeiros (4 years ago)

Muito bom, obrigada!!!

Slide 1

INTRODUÇÃO À PESQUISA EM PSICOLOGIA QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA Prof. Arlindo F. Gonçalves Jr.

Slide 2

RISCOS, OBJETIVOS, PROCEDIMENTOS PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENGODO OCULTAÇÃO DA IDENTIDADE DO PESQUISADOR Humphreys (1970) Estudo sobre o comportamento de homossexuais em banheiros públicos

Slide 3

6.15 – ENGODO NA PESQUISA Os psicólogos somente realizam um estudo que envolve engodo quando o uso de tais técnicas se justifica pelos propósitos científicos, educacionais, ou pela aplicação potencial dos resultados do estudo [...]. Os psicólogos nunca enganam os participantes de suas pesquisas no que diz respeito a aspectos significativos que poderiam afetar sua disposição em particular, tais como riscos físicos, desconforto ou experiências emocionais desagradáveis. CÓDIGO DE ÉTICA DA APA - Artigo 6 PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENGODO

Slide 4

REPRESENTAÇÃO DE PAPÉIS O EXPERIMENTADOR DESCREVE UMA SITUAÇÃO AOS PARTICIPANTES E, ENTÃO, PERGUNTA COMO RESPONDERIAM À SITUAÇÃO ALTERNATIVAS PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENGODO Problemas: falta de envolvimento; os resultados poderiam ser diferentes em um contexto real

Slide 5

SIMULAÇÃO TIPO DE UMA REPRESENTAÇÃO DE PAPÉIS QUE ENVOLVE UMA SITUAÇÃO VIVENCIAL NO MUNDO REAL PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENGODO ALTERNATIVAS Zimbardo (1973) Experimento da prisão de Stanford

Slide 6

EXPERIMENTO HONESTO PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENGODO ALTERNATIVAS CONSCIENTIZAÇÃO PLENA DO SUJEITO SOBRE O EXPERIMENTO Byrne, Ervin e Lamberth (1970) Estudo sobre estabelecimento de casais por meio de computador

Slide 7

EXPERIMENTO HONESTO PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENGODO ALTERNATIVAS Leventhal (1970) Exposição voluntária a um apelo para deixar de fumar EXPLICITAÇÃO SOBRE MUDANÇAS DE COMPORTAMENTO

Slide 8

EXPERIMENTO HONESTO PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENGODO ALTERNATIVAS Ellsworth, Carlsmith, Henson (1972) Motoristas parados em semáforos sendo observados SITUAÇÕES EM QUE OCORRÊNCIAS NATURAIS SÃO OPORTUNIDADE PARA A PESQUISA

Slide 9

PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA RISCO E DANO possibilidade de danos à dimensão física, psíquica, moral, intelectual, social, cultural ou espiritual do ser humano, em qualquer fase de uma pesquisa e dela decorrente. agravo imediato ou tardio, ao indivíduo ou à coletividade, com nexo causal comprovado, direto ou indireto, decorrente do estudo científico. RISCO DANO

Slide 10

PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA RISCO E DANO RISCO DANO GERADOS PELOS PROCEDIMENTOS ENQUANTO VARIÁVEL DE ESTUDO

Slide 11

SÃO DADAS TODAS AS INFORMAÇÕES SOBRE A PESQUISA QUE PODERÃO INFLUENCIAR A DECISÃO DE PARTICIPAR ANTES DE O PARTICIPANTE TOMAR TAL DECISÃO PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA CONSENTIMENTO INFORMADO Consentimento livre e esclarecido - anuência do sujeito da pesquisa e/ou de seu representante legal, livre de vícios (simulação, fraude ou erro), dependência, subordinação ou intimidação, após explicação completa e pormenorizada sobre a natureza da pesquisa, seus objetivos, métodos, benefícios previstos, potenciais riscos e o incômodo que esta possa acarretar, formulada em um termo de consentimento, autorizando sua participação voluntária na pesquisa.

Slide 12

ARGUMENTOS A FAVOR SUPRIME O ENGODO PRESERVA A INTEGRIDADE DE AUTONOMIA DO SUJEITO PRESERVA LEGALMENTE A ATIVIDADE DO PESQUISADOR PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA CONSENTIMENTO INFORMADO

Slide 13

PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA CONSENTIMENTO INFORMADO ARGUMENTOS CONTRÁRIOS MODIFICAÇÃO NO COMPORTAMENTO DO SUJEITO Gardner (1978); Dill, Gilden, Hill e Hanslka (1982) Procedimentos que utilizam consentimento informado aumentam a percepção do controle em experimentos sobre estresse, e, podem afetar as conclusões

Slide 14

BUSCA DAR GARANTIAS SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DO EXPERIMENTO BUSCA EXPLICITAR TODOS OBJETIVOS E PROCEDIMENTOS OFERECE COMPREENSÃO SOBRE O PRÓPRIO SUJEITO PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENTREVISTA DE ESCLARECIMENTO

Slide 15

PODE OFERECER A POSSIBILIDADE DE CONHECER OS RESULTADOS ALTERNATIVA PARA O ENGODO BUSCA ELIMINAR SENTIMENTOS NEGATIVOS EM RELAÇÃO À CIÊNCIA PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ENTREVISTA DE ESCLARECIMENTO

Slide 16

GARANTIR A NÃO IDENTIFICAÇÃO DO SUJEITO QUESTIONÁRIOS ANÔNIMOS E CODIFICAÇÃO DAS RESPOSTAS PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ANONIMATO E SIGILO BUSCAR MÉTODOS PARA SEPARAR IDENTIDADE DOS DADOS REAIS Quando há necessidade de identificação

Slide 17

PROBLEMAS ÉTICOS NA OBSERVAÇÃO SEM IDENTIFICAÇÃO DO PESQUISADOR: LUGARES PRIVADOS PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA ANONIMATO E SIGILO Middlemist,Knowles e Matter (1977) Estudo sobre o efeito do espaço pessoal sobre uma medida de ativação fisiológica

Slide 18

PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA POPULAÇÕES ESPECIAIS EXEMPLOS: CRIANÇAS, PACIENTES PSIQUIÁTRICOS, PRISIONEIROS. Quais precauções deve tomar o pesquisador?

Slide 19

PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA OBRIGAÇÕES DOS EXPERIMENTADOES COMPROMETIMENTO E RESPOSABILIDADE COM O SUJEITO DA PESQUISA

Slide 20

PRINCIPAIS QUESTÕES ÉTICAS NA PESQUISA FRAUDE FALSIFICAÇÃO NA DESCRIÇÃO; REALIZAÇÃO; E OBTENÇÃO DOS DADOS OBTIDOS Caso de Cyril Burt: Semelhança nos escores de QI de gêmeos idênticos

Slide 21

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS FONTES FORMAIS DE REFERÊNCIA: CÓDIGO DE ÉTICA (APA) PRINCÍPIOS ÉTICOS NA REALIZAÇÃO DE PESQUISA (APA) CÓDIGO DE ÉTICA (CFP) RESOLUÇÃO DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE 196/96

Slide 22

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS CÓDIGO DE ÉTICA DA APA - Artigo 6 6.06 - PLANEJAMENTO DE PESQUISA d) Os psicólogos esforçam-se para tomar medidas que garantam a proteção apropriada dos direitos e do bem-estar dos participantes humanos e de outras pessoas afetadas pela pesquisa, assim como o bem-estar de animais utilizados como sujeitos.

Slide 23

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS 6.09 – APROVAÇÃO INSTITUCIONAL Os psicólogos obtêm das instituições ou organizações em que realizam suas pesquisas aprovação prévia para realizá-las e comprometem-se a fornecer informações adequadas sobre seus objetivos. Realizam a pesquisa de acordo com o protocolo aprovado. CÓDIGO DE ÉTICA DA APA - Artigo 6

Slide 24

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS 6.11 – CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PARTICIPAÇÃO EM PESQUISA b) Por meio de linguagem razoavelmente compreensível, os psicólogos informam os participantes quanto à natureza da pesquisa; informam também que os participantes têm liberdade para participar ou não e para desistir no decorrer de um estudo; explicam as conseqüências previsíveis da recusa ou da desistência; dão informações a respeito de fatores que podem afetar a disposição para participar [...]; e dão explicação sobre outros aspectos a respeito dos quais os futuros participantes tenham dúvidas. CÓDIGO DE ÉTICA DA APA - Artigo 6

Slide 25

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS 6.13 – CONSENTIMENTO INFORMADO PARA A REALIZAÇÃO DE FILMAGENS OU GRAVAÇÕES Os psicólogos obtêm consentimento dos participantes de suas pesquisas antes de realizar qualquer forma de filmagem ou gravação, a menos que a pesquisa envolva simples observação naturalística em lugares públicos e que não se anteveja a possibilidade de o registro vir a possibilitar identificação pessoal ou causar prejuízo o participante. CÓDIGO DE ÉTICA DA APA - Artigo 6

Slide 26

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS 6.14 – OFERTA DE INCENTIVOS AOS PARTICIPANTES DE PESQUISA b) Os psicólogos não oferecem incentivos financeiros excessivos ou inapropriados, para obter participantes em suas pesquisas, particularmente quando a oferta desses incentivos pode funcionar como uma forma de coação. CÓDIGO DE ÉTICA DA APA - Artigo 6

Slide 27

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS Avaliará os riscos envolvidos, tanto pelos procedimentos, como pela divulgação dos resultados, com o objetivo de proteger as pessoas, grupos, organizações e comunidades envolvidas; Garantirá o caráter voluntário da participação dos envolvidos, mediante consentimento livre e esclarecido, salvo nas situações previstas em legislação específica e respeitando os princípios deste Código; CÓDIGO DE ÉTICA DO CFP - Artigo 16 O psicólogo, na realização de estudos, pesquisas e atividades voltadas para a produção de conhecimento e desenvolvimento de tecnologias:

Slide 28

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS Garantirá o anonimato das pessoas, grupos ou organizações, salvo interesse manifesto destes; Garantirá o acesso das pessoas, grupos ou organizações aos resultados das pesquisas ou estudos, após seu encerramento, sempre que assim o desejarem. CÓDIGO DE ÉTICA DO CFP - Artigo 16 O psicólogo, na realização de estudos, pesquisas e atividades voltadas para a produção de conhecimento e desenvolvimento de tecnologias:

Slide 29

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS III.1 - A eticidade da pesquisa implica em: RESOLUÇÃO 196/96 Sobre pesquisas científicas que envolvem seres humanos (CNS) a) consentimento livre e esclarecido dos indivíduos-alvo e a proteção a grupos vulneráveis e aos legalmente incapazes (autonomia). Neste sentido, a pesquisa envolvendo seres humanos deverá sempre tratá-los em sua dignidade, respeitá-los em sua autonomia e defendê-los em sua vulnerabilidade; d) relevância social da pesquisa com vantagens significativas para os sujeitos da pesquisa e minimização do ônus para os sujeitos vulneráveis, o que garante a igual consideração dos interesses envolvidos, não perdendo o sentido de sua destinação sócio-humanitária (justiça e eqüidade).

Slide 30

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS IV - CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO RESOLUÇÃO 196/96 Sobre pesquisas científicas que envolvem seres humanos (CNS) O respeito devido à dignidade humana exige que toda pesquisa se processe após consentimento livre e esclarecido dos sujeitos, indivíduos ou grupos que por si e/ou por seus representantes legais manifestem a sua anuência à participação na pesquisa.

Slide 31

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS V - RISCOS E BENEFÍCIOS RESOLUÇÃO 196/96 Sobre pesquisas científicas que envolvem seres humanos (CNS) Considera-se que toda pesquisa envolvendo seres humanos envolve risco. O dano eventual poderá ser imediato ou tardio, comprometendo o indivíduo ou a coletividade.

Slide 32

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS QUESTIONÁRIOS ANÔNIMOS LEVANTAMENTOS DE OPINIÃO TESTES EDUCACIONAIS OBSERVAÇÕES NATURALÍSTICAS EM LUGARES PÚBLICOS (QUANDO HÁ GARANTIA DE ANONIMATO) PESQUISA DE ARQUIVO PÚBLICO PESQUISAS QUE NÃO ENVOLVEM RISCOS (aparentes)

Slide 33

FORMULAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS QUANDO OS RISCOS NÃO SÃO MAIORES DO QUE OS ENCONTRADOS EM SUA VIDA DIÁRIA OU EM TESTES FÍSICOS OU PSICOLÓGICOS ROTINEIROS PESQUISAS QUE ENVOLVEM RISCOS MÍNIMOS REGISTRO DE DADOS FISIOLÓGICOS EXERCÍCIO MODERADO POR SUJEITOS SAUDÁVEIS ESTUDO SOBRE COMPORTAMENTO DE INDIVÍDUOS OU GRUPOS NOS QUAIS NÃO HÁ MANIPULAÇÃO E SUBMISSÃO AO ESTRESSE

Summary: Princípios éticos envolvidos nas pesquisas com seres humanos e animais nas diversas áreas da psicologia. Aula ministrada pelo prof. Arlindo F. Gonçalves Jr.

Tags: ética psicologia pesquisa

URL: